regras-de-seo

10 Regras de SEO que um webdesigner deve saber

No Blog Marketing online falo diversas vezes sobre SEO e otimização para motores de buscas e um webdesigner deve saber e aplicar.

Inúmeros webdesigners costumam ficar fora dos nossos artigos, então achei importante indicar as 10 regras de SEO que um webdesigner deve saber.

Regras de SEO que um webdesigner deve saber

webdesigners

Tenho recebido alguns emails com a perguntar como criar websites em Joomla e WordPress. Nesse sentido, vou mostrar como deve apresentar o website ao cliente antes de entregar.

1) Nunca engane o Google

Esta é uma regra de ouro para tudo ligado a Internet. Em termos de SEO, tentar enganar o Google é a sua pior opção. Existem algumas pessoas que fazem através do Grey Hat SEO e do Black Hat SEO. Preocupe-se em desenvolver websites e blogs com qualidade em vez de tentar enganar a Google.

2) Use keywords

Dê prioridade na descrição e na utilização de frases com palavras-chave no seu website. Use-as nos títulos dos artigos, nas metatags, no título do website e nos títulos h2, h3 e h4. Mas não tente abusar nas keywords com o objetivo de rankear mais favoravelmente, porque o Google não é burro.

3) O conteúdo é o rei

Poderá ser o melhor designer do Mundo, mas na realidade as pessoas procuram conteúdo de qualidade nos motores de busca. Não procuram pelo website com o melhor visual. Aplique a técnica da pirâmide invertida, ou seja, concentre-se nas keywords e nos títulos H1 na página principal e resuma os seus artigos no primeiro parágrafo.

4) Código limpo e comentado

Código HTML, CSS ou PHP é mais apreciado quando está limpo, organizado e comentado. No fundo, ele é o melhor para os motores de busca, pois a sua leitura é menos demorosa e mais eficiente. Tente melhor o seu código HTML, utilizando devidamente as tags.

5) Página principal

A chave do seu website é a página principal, nomeadamente a home. Nela deverá encontrar um resumo de todos os conteúdos que apresenta e uma estrutura que cative o leitor.

6) Link internos e links externos

Noutros artigos afirmamos que os links são muito importantes e isso é verdade. O Google preocupa-se imenso nos links internos ou links externos. Eles funcionam como uma âncora no seu texto, permitindo chamar mais leitores. Não utilize expressões como “veja aqui”, “clique aqui” ou “leia mais aqui”, uma vez que não captará muito a atenção.

7) Otimizar através das imagens

Com a tag ALT poderá otimizar o seu website. Preocupe-se em atribuir o nome adequado e ao mesmo tempo indicar uma keyword. Atribua atributos nas suas imagens e será uma forma de aumentar o tráfego no seu website.

8) Sitemap

Desenvolver um sitemap é uma tarefa extremamente simples, especialmente para webdesigners e programadores. Elabore um ficheiro xml que importe todos os links do seu website e coloque-o no Google Webmaster Tools.

9) Meta tag

Se tiver que optar entre as meta tags e a tag de descrição, claramente que deve apostar na tag de descrição. Os motores de busca como o Google usam essa tag para definir resumidamente o conteúdo que apresenta e a apresentação do website. Normalmente, esse texto tem que ser relevante e interessante para ser encontrado.

10) Webdesign

Os motores de busca oferecem maior relevância aos websites ou blogs com excelente conteúdo. No entanto, os motores de busca também estão programados para encontrar aquilo que nós queremos, logo é importante que apresente um design apelativo.

Foque essencialmente na estrutura e resolva os pequenos problemas, mantendo-se fiel as 10 regras de SEO que um webdesigner deve saber. Isso é o mais importante na hora de rankear e é aquilo que os motores de busca procuram.

Esqueça a arte dentro de si e apresente um website ou blog de qualidade e uma estrutura sólida. Se possível, brinque com o CSS e introduza um estilo seu, bem como a sua própria arte.

Qualquer dúvida que tenha sobre as 10 regras de SEO que um webdesigner deve saber, eu estarei à disposição para esclarecer e ajudar.

Tipos de artigos e produtividade

Podemos fazer uma divisão muito clara entre dois tipos de artigos ou posts: unicamente informativa, que se limita a repetir uma informação específica, e de desenvolvimento no qual o autor possa refletir sobre os seus conhecimentos.

Antes de seguir vamos observar o processo básico para seguir ao escrever um post informativo:

O autor encontra algo para escrever sobre
Lê a notícia
Geralmente está em Inglês
Faz a tradução e pronto

E agora, o processo básico do artigo pelo autor:

Você pode pensar primeiro na ideia
Ordena um pouco algumas ideias
Complementa as ideias que você deseja
Escreve um artigo

O tempo de leitura é semelhante em ambos os tipos de artigos, o tempo para escrever não. Traduzir ou repetir nas suas próprias palavras um pedaço de informação demora mais do que simplesmente transferir o texto que você já sabe.

O cansaço e o esforço é muito superior quando você repete informações, e a recompensa (satisfação, por exemplo, mesmo com um trabalho) é muito maior quando você cria algo do nada. Poderíamos dizer também que a notícia informa, e desenvolvimento muitas vezes diz-lhe que ajuda a clarificar ideias e dá-lhe o caminho para outras ideias.

A Internet deve combinar os dois tipos de artigos, semelhante aos papéis (aos seus sites). Mas um jornal é, antes de informar, em seguida, é um editorial lido, o contraste da informação, dá para jogar ou fazer as palavras cruzadas. Um site ou blog, por exemplo, como o Blog Marketing Online (cada um se encaixa no assunto) o seu ponto forte é o de aprender e ter ideias e, em seguida, manter-se informado.

A maioria dos sites são informativos (com uma grande variedade de documentação sobre um assunto), e entre eles, com algumas atualizações nas informações mais recentes sobre o assunto.

Se atualizarmos o nosso blog diariamente com notícias sobre o Google, mantemos a par do que acontece, mas não aprendemos nada. No máximo, podemos escrever um post sobre a direção que acredito que vai dar retorno.

Se ficarmos a par das últimas sobre SEO, podemos aprender sobre o tema e poderemos desenvolver muitos artigos interessantes para o leitor.

Se considerarmos que os artigos são os que podem atrair mais atenção e atrair mais links (notícias, obviamente importante será sempre links para os maiores meios de comunicação), e que a mera notícia pode ler em mil lugares e as pessoas através do desenvolvimento da lealdade, podemos concluir que os tipos de artigos são mais produtivos e lucrativos.

Portanto, as meras traduções simples ou transcrições em si, acima de tudo são artigos escritos.

Avalie
-->Aproveite e cadastre seu email abaixo para receber novas atualizações do site. Após colocar o seu email abaixo vai receber um email de confirmação de cadastro não esqueça de clicar.<--

Receba novidades no seu email:

Delivered by FeedBurner

Claudio Gomes

Empreendedor online e offline. Empreendimentos e negócios. Trabalho com Internet Marketing/Negócios Online alguns anos e consegui acumular muitas informações sobre negócios e formas de ganhar dinheiro online. Trabalho com informática e represento uma empresa de perfumaria e cosméticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*