8 dicas para colocar um site na primeira página do Google

Colocar um site na primeira página do Google é o objetivo de qualquer empresa. Afinal, a maioria das compras se iniciam atualmente a partir de pesquisas na internet e o Google é a maior ferramenta de buscas do mundo.

Mas não basta criar um site e aguardar que ele seja exibido automaticamente pelo Google no topo dos resultados das pesquisas. O Google sempre prioriza a experiência dos usuários e procura apresentar nas primeiras posições os sites que ele julga mais adequados para cada busca.

Ou seja, para fazer o rankeamento dos sites a serem exibidos, é avaliada uma quantidade enorme de variáveis, como relevância, tempo de carregamento, qualidade do conteúdo, adaptação a diferentes tipos de dispositivos, autoridade, entre outras.

Por isso, conhecer os critérios utilizados pelo Google para fazer esse rankeamento e saber quais medidas podem ser implementadas para ter um bom posicionamento é fundamental para colocar um site na primeira página do Google e aumentar a visibilidade da empresa na internet.

Esse artigo irá te ajudar a compreender melhor a importância e o funcionamento das buscas no Google para qualquer empresa. Também serão apresentadas 8 dicas do que pode ser feito no site para que ele tenha boa performance nessas buscas e fique à frente da concorrência.

Importância de colocar o site na primeira página do Google

Nos dias atuais, a internet está definitivamente incorporada à vida das pessoas e, cada vez mais, vem sendo utilizada em uma infinidade de tarefas cotidianas e profissionais.

Claramente, houve uma transformação nas vidas das pessoas nos últimos tempos e, consequentemente, nos seus hábitos de consumo. A internet passou então a ter papel preponderante para pesquisar soluções, comparar produtos e fazer compras.

Mais de 90% das compras se iniciam com uma busca na internet. Por isso, os sites das empresas funcionam como uma espécie de vitrine virtual. É, muitas vezes, o primeiro canal de contato das pessoas com o seu negócio, por onde é possível apresentar seus produtos e serviços, reforçar a visibilidade da sua marca e aumentar as oportunidades de vendas.

Mas para que essa vitrine seja vista pelos potenciais clientes é necessário que o site tenha um bom rankeamento no Google e seja exibido na primeira página de resultados das pesquisas.

Isso porque o Google é, disparadamente, a principal ferramenta de buscas na internet. Diariamente, ele processa mais de 3 bilhões de pesquisas em seus mais de 50 trilhões de sites catalogados. E o melhor: é usado por pessoas que estão em busca de respostas e soluções para atender às suas necessidades.

Ou seja, nada melhor do que ser encontrado pelas pessoas, justamente quando elas já estão procurando por produtos ou serviços que sua empresa oferece. Lidar com necessidades já latentes é um diferencial das pesquisas do Google em relação às redes sociais, por exemplo.

Por isso, aparecer na primeira página do Google é um grande diferencial para os negócios. Afinal, os usuários costumam acessar somente os sites exibidos na primeira página, principalmente nas primeiras posições.

site na primeira pagina do Google
Site na primeira página do Google

Mas a concorrência na internet passou a ser muito grande e a luta para aparecer na primeira página do Google está cada vez mais acirrada.

Rankeamento do Google

Mas quais sites conseguem ser exibidos na primeira página das pesquisas? O Google utiliza algoritmos, que são como robôs virtuais, que vasculham todos os sites catalogados, faz um rankeamento e apresenta os mais relevantes para a busca do usuário.

Embora o Google não divulgue oficialmente quais são os fatores mais relevantes, pelo menos disponibiliza um guia de SEO para iniciantes com algumas boas práticas para melhorar a performance dos sites.

Mas o que é Consultoria SEO? SEO (Search Engine Optimization) é o conjunto de técnicas de programação e produção de conteúdo com o objetivo de aumentar o tráfego e o desempenho dos sites nas ferramentas de busca.

Um dos maiores especialistas mundiais no assunto, Brian Dean, já levantou mais de 200 fatores considerados pelo Google para definir o rankeamento dos sites para uma determinada palavra-chave. Alguns exemplos:

  • localização;
  • idioma;
  • velocidade de carregamento do site;
  • otimização para dispositivos móveis;
  • presença de palavras-chave utilizadas na pesquisa do usuário;
  • autoridade do site (backlinks);
  • relevância (nível de visitas);

Mas uma das orientações do Google é que os sites sejam criados para os usuários e não para as ferramentas de busca. Por isso, é importante que o site tenha conteúdo de qualidade para seu público-alvo, um bom design e seja fácil de navegar.

A maioria das pessoas utiliza a internet para se informar, entreter ou comprar. Por isso, para aumentar o engajamento das pessoas em seu site, uma boa estratégia é, além da apresentação dos seus produtos e serviços, oferecer conteúdo que eduque, informe ou entretenha.

Vamos agora apresentar algumas ações que devem ser colocadas em prática nos sites para aumentarem as chances de eles serem apresentados na primeira página do Google.

1. Oferecer conteúdo relevante

O principal objetivo do Google é oferecer a melhor experiência possível para seus usuários, apresentando os sites mais relevantes para suas pesquisas. Por isso, fatores que sinalizam que um determinado site vem agradando a seus visitantes, costumam ser valorizados no rankeamento.

Estão nessa linha, por exemplo, a quantidade de pessoas que visitam o site, a frequência das visitas, o tempo de permanência e o engajamento (interações com o site). Esse conjunto de estatísticas combinadas são um bom sinal do grau de relevância de um site.

Para obter bom desempenho nesses indicadores, o melhor caminho é oferecer conteúdo relevante para atrair, reter e engajar os usuários. Além disso, o conteúdo não pode ser copiado de outro lugar e precisa ser atualizado regularmente. O Google também considera o tamanho dos textos: os maiores costumam ser mais relevantes que os menores.

Também é recomendado que o site apresente as informações mais importantes da empresa: dados para contato (telefone, e-mail, redes sociais), soluções para as necessidades dos visitantes e diferenciais em relação à concorrência.

Os textos devem ser persuasivos, usar técnicas de copywriting e conduzirem os visitantes para fazerem alguma ação desejada, como ligar, clicar em um link ou preencher um formulário. Os formulários devem ser simples e ter poucos campos para não comprometer a experiência do usuário.

Por fim, se a empresa oferecer uma variedade grande de produtos ou serviços, é importante criar páginas específicas para cada item (ou categoria). Assim, pessoas interessadas em um produto específico não serão direcionadas para páginas genéricas com produtos que não são de seu interesse.

2. Utilizar Link Building

Um dos fatores com maior peso para colocar um site na primeira página do Google é sua autoridade. E isso é determinado, principalmente, pela qualidade dos backlinks, que são links de sites de terceiros apontando para o seu.

Esses links funcionam como uma espécie de recomendação. Ou seja, os sites que se relacionam com uma quantidade grande de outros sites tendem a ter autoridade no mercado, desde que sejam confiáveis e de qualidade.

No entanto, ganhar backlinks e ser referenciado em outros sites depende da iniciativa de terceiros. Por isso mesmo que é muito valorizado pelo Google. Mas, no lugar de aguardar passivamente por isso, você pode usar estratégias para criar backlinks. A estratégia para aumentar o número e a qualidade dos backlinks é chamada de Link Building.

Porém, práticas maliciosas, como a compra de links ou o excesso de links de sites não confiáveis podem ser passíveis de punição do Google, comprometendo totalmente a reputação e performance do site.

Os links de maior qualidade são aqueles de origem em sites com autoridade, popularidade e do mesmo nicho. Também é importante que os backlinks estejam inseridos de forma natural no texto.

Algumas medidas que podem ser tomadas para estimular backlinks para seu site são:

  • divulgar links nas redes sociais, e-mail marketing ou anúncios;
  • inserir botões de compartilhamento no conteúdo;
  • solicitar links para sites que mencionarem seu negócio;
  • fazer parcerias para publicação de conteúdo (guest posting, co-marketing);
  • criar conteúdo tão bom que seja linkado naturalmente;

Também é importante ter uma estratégia de links internos entre as páginas do próprio site. O ideal é criar um texto âncora e vários outros textos mais específicos e fazer links entre eles. Os links devem ser inseridos naturalmente no contexto.

3. Fazer bom uso das palavras-chave

O papel do Google é intermediar pessoas que tem alguma necessidade e sites que oferecem a solução para aquela necessidade. Essas necessidades são expressas através das palavras-chave usadas na barra de pesquisa. O algoritmo do Google então vasculha os sites em busca de elementos que correspondam àquelas palavras-chave e apresenta os mais relevantes.

Por isso, é importante conhecer as necessidades do seu público-alvo, as eventuais palavras-chave que podem ser usadas para expressar essas necessidades e utilizar essas palavras-chave em pontos estratégicos do site.

Existem várias ferramentas que podem ser bastante úteis na tarefa de criar lista de palavras-chave relevantes e eficientes:

  • Google Trends: para descobrir as palavras-chave em alta;
  • Planejador de Palavras-Chave: para descobrir concorrência das palavras-chave;
  • Keyword Tool: para criar lista de palavras-chave;
  • Answer the Public: para identificar palavras-chave usadas para cada tema;

Depois de levantar as palavras-chave, elas devem ser incorporadas ao conteúdo do site. As principais palavras-chave, suas variações e sinônimos devem ser inseridas em pontos estratégicos. Colocá-las no rodapé, por exemplo, tem um peso menor.

Mas qualquer uma dessas otimizações deve ser feita para enriquecer a experiência dos visitantes no site. Ou seja, intervenções aleatórias, que possam criar confusão nas pessoas que visitam o site, devem ser evitadas.

4. Ter layout e navegabilidade atraentes

Para reter a atenção dos visitantes é importante que o site seja construído considerando sempre o perfil do seu público-alvo. Por isso, a seleção das cores, do tipo de fonte das letras e das imagens deve ser condizente com as pessoas que se deseja atrair.

Assim, um site de uma loja de doces, por exemplo, deve ter um visual bem diferente de um site de um escritório de consultoria. Isso porque os elementos visuais podem transmitir mensagens subliminares de simplicidade, alegria, seriedade, luxo, que devem ser coerentes com o que seu público procura. Para transmitir profissionalismo e fortalecer uma identidade visual, deve haver padronização e harmonia na aparência do site.

Além disso, devem ser tomadas algumas outras medidas para melhorar a compreensão e a navegabilidade pelo site:

  • usar textos escuros sobre fundos claros;
  • evitar utilizar fontes de tipos e tamanhos diferentes no mesmo texto;
  • não utilizar elementos que tirem o foco dos visitantes (movimentações de animações e ícones);
  • utilizar imagens de alta qualidade;
  • ter opção de barra de pesquisa;
  • manter sempre visível um botão com link para página inicial;
  • utilizar o logotipo da empresa;

Por fim, é muito importante que o site seja “responsivo”, ou seja, que se adeque automaticamente ao tamanho de tela de qualquer dispositivo (celulares, computadores ou tablets).

Isso porque, atualmente, a maioria das buscas são feitas a partir de celulares, mas alguns sites antigos ainda não estão preparados para as telas menores desses aparelhos.

5. Carregar com velocidade

A velocidade de carregamento do site é outro importante requisito. Afinal, muitos usuários costumam desistir de sites que demoram para carregar. Como o Google sempre procura gerar a melhor experiência para os usuários, quanto mais rápido for o site, maior será a chance de ele ser exibido na primeira página.

Por isso, o desenvolvedor do site deve utilizar ferramentas e técnicas para evitar que o site fique lento. Algumas medidas que podem melhorar o tempo de carregamento de um site são:

  • utilizar imagens comprimidas;
  • utilizar mesma imagem de fundo em todas as janelas;
  • fazer limpeza dos códigos internos;
  • utilizar formatos mais avançados para imagens (JPEG 2000, JPEG XR e WebP);

Para verificar e fazer comparações de velocidade dos de sites existem várias ferramentas gratuitas. O próprio Google disponibiliza o Test My Site, que é bem fácil de ser utilizado e apresenta sugestões para melhorias de performance.

6. Otimizar os elementos do site

Existem alguns elementos dos sites que tem pesos maiores para o Google identificar os assuntos e as palavras-chave principais. Por isso, nesses elementos as palavras-chave e suas variações devem aparecer para aumentar as chances de colocar um site na primeira página do Google.

Esses principais elementos são o título da página, a meta descrição, a URL, as imagens e os títulos internos. Seguem as principais recomendações para cada um desses elementos:

  • Título da página: é o principal elemento da página (tanto para o Google como para os usuários), define o conteúdo tratado, deve ter a palavra-chave principal e não pode ultrapassar 60 caracteres;
  • Meta descrição: é a descrição da página, deve ser informativa e despertar o interesse dos usuários, também deve ter a palavra-chave principal e não ultrapassar 137 caracteres;
  • URL: elas devem ser descritivas no lugar de serem códigos ou números (uma boa sugestão é usar o próprio título da página ou a principal palavra-chave);
  • Imagens: o texto alternativo, o nome do arquivo, a legenda e a URL das imagens devem ser descritivos e conter as palavras-chave principais;
  • Títulos internos: servem para facilitar a leitura dos usuários e apresentar para o Google os temas e a hierarquia do conteúdo, devem ter variações das palavras-chave;

A utilização de títulos internos também ajuda os leitores a escanear o conteúdo, que é a possibilidade de uma leitura rápida para ir direto aos pontos de maior interesse. Além disso, é recomendável que não haja textos muito longos (mais de 300 caracteres) sem títulos internos para tornar a leitura mais agradável.

7. Preencher a ficha da empresa no Google Meu Negócio

O Google disponibiliza através de uma ferramenta chamada Google Meu Negócio um cadastro gratuito para as empresas informarem sua localização, contatos, horário de funcionamento, produtos e serviços, perguntas e respostas, fotos e eventos.

O preenchimento dessa ficha fortalece a reputação da empresa para o Google. Essas informações são exibidas nos resultados das pesquisas e também no Google Maps.

Por isso, são especialmente importantes para negócios que possuem um endereço de atendimento. Pois a empresa terá maiores chances de ser indicada nas pesquisas dos usuários que estejam nas proximidades.

Para obter os melhores resultados, é fundamental fazer o preenchimento completo da ficha cadastral. Quanto mais completo for o preenchimento, maior credibilidade o Google dará. Também ajuda bastante inserir fotos da empresa, seus produtos e sua equipe.

O Google também monitora a frequência e o tempo de retorno das suas interações com os internautas que utilizam a opção de perguntas e respostas. Para não ser penalizado, é recomendado responder a todos os questionamentos.

Por fim, um dos aspectos mais importantes são as notas de classificação dos clientes. Isso porque empresas bem avaliadas costumam ter resultados melhores do que aquelas mal avaliadas.

8. Gerenciar o tráfego do site

Além das orientações anteriores, também é importante gerenciar periodicamente o tráfego do site para verificar os resultados alcançados e fazer melhorias contínuas para sempre colocar o site na primeira página do Google.

Conhecer o fluxo de visitantes e seu comportamento no site é essencial e existem várias ferramentas que coletam os dados de navegação e geram relatórios para análise. A ferramenta mais utilizada no mundo para análise do comportamento da audiência dos sites é o Google Analytics.

A ferramenta é gratuita e intuitiva.  Ela coleta informações dos usuários que acessam os sites e gera relatórios detalhados para análise das visitas. Os dados podem ser analisados isoladamente, comparados ou cruzados. A coleta é feita através de um código de rastreamento, que deve ser instalado previamente nas páginas.

Através dele, é possível, por exemplo, levantar a quantidade de acessos, a origem das visitas, o tempo de permanência e a quantidade de conversões.  Dessa forma, é possível mensurar o que vem fazendo sucesso e o que precisa ser ajustado.

Coletar, analisar e tomar decisões baseadas em dados e estatísticas, no lugar de “achismos” torna mais precisa a análise do desempenho do site. Por isso, concentre-se em poucos indicadores: naqueles que são relevantes para o seu negócio. Os indicadores precisam antes serem contextualizados para depois serem analisados.

É recomendável ter um planejamento da frequência na qual os relatórios serão analisados, quais dados serão analisados e o que será feito depois das análises. Em outras palavras, é necessário definir os objetivos, mensurar os progressos e ajustar o que for necessário.

Com essas medidas as chances de colocar um site na primeira página do Google são muito maiores. E a maioria dessas técnicas pode ser implementada no site, mesmo sem conhecimentos profundos de programação.

2 Comentários
  1. pluri sistemas Diz

    Dicas valiosas para quem trabalha com SEO e busca o topo diariamente dos mecanismos de busca. Neste processo, venho buscando focar em estratégias de Link Building e os resultados estão vindo mensalmente!

    1. Claudio Gomes Diz

      Mesmo sendo devagar o trabalho precisa focar em sempre fazer para ter resultado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Consulte mais informações