Pedro Lima – Entrevista com um publicitário sobre search engine marketing

E vamos a outra super entrevista com um profissional formado Pedro Lima tirando muitas dúvidas principalmente sobre search engine marketing e marketing digital.

É meus leitores hoje fui mais profundo achei um profissional formado para entrevistar o Pedro Lima e fiquei impressionado com os seus conhecimentos e vou compartilhar com vocês as informações e espero que gostem e compartilhem.

Da uma olhada na bagagem e conhecimento desse profissional: Publicitário e pós graduado em gestão de negócios, experiência com search engine marketing e tem conhecimento sobre startups. Hoje o bicho vai pegar.

Conteúdo

Chega de papo e vamos a essa super entrevista com Pedro Lima

1 – Informe um pouco sobre o seu trabalho e como chegou nessa área.

Comecei a trabalhar com marketing digital em 2007. Estava na metade da faculdade, quando surgiu a oportunidade de estagiar em uma agência de Curitiba. No início, meu trabalho era muito focado em SEO (search engine optimization), que no Brasil ficou conhecido como otimização de sites.

Nosso trabalho era garantir que no site tivesse implementado as principais técnicas para melhorar sua performance nos mecanismos de busca.

2 – Qual a sua opinião sobre os sites com http e https?

Os sites com https possuem algum tipo de certificado digital que garante certa segurança ao usuário. Acredito que no futuro todos os sites precisarão ser https diante do grande problema de segurança digital em que vivemos. Isso será uma prática comum que trará mais confiança ao usuário. O Google também já iniciou um movimento, em que os sites que possuírem https serão beneficiados nos rankings.

3 – Explique o que é (Quality Score) índice de qualidade do Google?

O Quality Score é uma métrica criada pelo Google para balancear o leilão do Adwords, sua ferramenta de links patrocinados. Ele influencia diretamente no resultado do posicionamento dos anunciantes, toda vez que uma consulta é realizada.

É ele também que, em teoria, garante que o leilão seja democrático e que nem sempre o anunciante que tem maior verba seja o principal anunciante.  É uma fórmula matemática que considera a relação entre a palavra-chave comprada, a redação do anúncio e a qualidade da página de destino.

4 – Quais são as suas ferramentas de SEO favoritas?

Existem diversas ferramentas de SEO, algumas delas com funcionalidades para demandas muito específicas. Mas atualmente tenho mais utilizado o SEMRUSH ou Ahrefs.

5- Quais são seus KPIs favoritos para acompanhar o desempenho?

KPIs variam muito de projeto para projeto, pois estão alinhados aos objetivos e características de cada um. Mas o KPI mais popular e que a grande maioria busca sempre melhorar é o ROI (retorno sobre o investimento).

Eu pessoalmente também gosto de acompanhar CTR, pois me dá uma ideia de como está a aceitação do usuário ao meu anúncio e o custo por lead, que é o valor máximo que o meu cliente deseja pagar por cada lead conquistado.

6 – Quais são os principais fatores que você considera ao auditar um site?

Acho que as principais análises a se fazer quando há a necessidade de fazer uma auditoria é avaliar como está a indexação, se já foi implementada alguma estratégia de SEO anteriormente e principalmente, que tipo de links apontam para o domínio, além de verificar a usabilidade, verificando se o usuário encontra as informações de forma fácil, rápida e com qualidade.

7 – Se você recebeu um orçamento extra para ajudar aumentar as conversões de um site de comércio eletrônico, como o gastaria?

Um dos primeiros passos na minha opinião é partir para o Adwords. Se o anunciante já está utilizando a ferramenta, eu indicaria partir para a compra de mídia programática.

8 – Nossa empresa tem 5 milhões de palavras-chave. Como você gerenciará uma conta desse tamanho?

Cada agência opta por utilizar suas ferramentas próprias ou tercerizadas nessa situação, integrando via API. Mas geralmente se consegue administrar contas relativamente grandes pelo próprio Editor, ferramenta disponibilizada pelo Google.

9 – O que você considera ser os 3 fatores em SEO mais importantes?

Na verdade o projeto de SEO é balizado em duas fases. A primeira fase é a que chamamos de Onpage, ou seja, todas as técnicas que são implementadas diretamente no site. A segunda, chamada de Offpage, são as técnicas complementares que ajudam no resultado final do projeto.

Se eu tivesse que nomear 3 fatores, eu nomearia um código limpo e organizado, uma boa otimização onpage e backlinks de qualidade.

10 – O que você considera crítico para incluir em relatórios de SEO do cliente?

Metas de conversão que deixem claro a participação e o desempenho do tráfego orgânico nas visitas ou conversões do site.

11 – Quais são os problemas técnicos mais comuns de SEO que você encontra?

O principal problema que temos encontrado atualmente é a falta de responsividade. Depois que o Google virou a chave e começou a considerar a responsividade como fator de performance, muitos clientes tiveram que rever os seus projetos para atender essa mudança.

Também é muito comum encontrar sites com erros de configuração dos robots (não indexação), falta de preenchimento adequado das meta tags e backlinks de má qualidade.

12 – Alguma vez você já lidou com a política da empresa que você não estava de acordo?

Não me recordo, me considero uma pessoa de sorte, por ter trabalhado com clientes tão bons nesses 10 anos.

13 – Onde você se vê dentro de cinco anos no setor de marketing digital?

Uma das nossas missões é consolidar nosso posicionamento a nível global. Gostaria de conquistar mais espaço para nós, nos próximos cinco anos.

14 – Qual foi o maior desafio da sua carreira de marketing digital até agora? E como você o superou?

Acho que o maior desafio de quem trabalha com marketing digital é o conhecimento. Por muitos anos, a formação acadêmica não era suficiente para formar os melhores profissionais da nossa área.

Por outro lado, o mercado de uma forma geral contribuía muito para a formação desses profissionais.

Superamos isso disseminando conhecimento através de eventos, cursos livres e até mesmo parceria com instituições para adequar as grades curriculares ao nosso mercado.

15 – Uma empresa esta começando no marketing digital o que você faria para alavancar nas buscas e conseguir visitantes?

O primeiro passo é se certificar que a plataforma, seja ela qual for, esteja preparada para ter uma boa performance nos mecanismos de busca. Isso pode trazer resultado orgânico no médio e no longo prazo. No curto prazo, eu investiria em compra de mídia programática, otimizando a verba e segmentando corretamente.

16 – O que é featured snippet? Como usar? Como tirar proveito?

O feature snippet é um box que aparece em destaque nos resultados de busca, geralmente quando é feita uma busca que contém uma pergunta. O Google apresenta automaticamente o resultado do site que responde a pergunta com a maior relevância possível.

Não existe um método garantido para se beneficiar do feature snippet, mas existem algumas otimizações que podemos fazer nas páginas e aumentar as chances. A primeira coisa que devemos fazer no conteúdo é responder a pergunta que o usuário faria para encontrar aquele conteúdo.

Provavelmente essa busca vai começar com “como”, “o que é”, “por que” ou “o que”. A segunda é usar a palavra-chave correta, vamos precisar ter noção dos termos que são pesquisados e de uma ferramenta como o Google Keyword Planner ou o SEMRUSH para ajudar.

A terceira é criar um conteúdo focado em ajudar o usuário, uma boa dica é quebrar esse conteúdo em várias partes onde em cada uma delas uma pergunta é respondida. Utilizar imagens, infográficos, vídeos também pode ajudar.

17 – É possível e como colocar uma página/empresa em destaque no google maps?

É possível e altamente recomendado, principalmente para aqueles anunciantes que possuem endereços físicos. Através da plataforma Google Meu Negócio, pode se cadastrar o estabelecimento e começar a aparecer no box de resultados locais já no curto prazo.

Algumas dicas de otimização para aparecer “em destaque” nesse box é ter uma boa reputação (citações positivas de clientes), boas fotos do ambiente interno e externo e preencher corretamente o nome, o endereço e o telefone do estabelecimento.

18 – Qual a sua opinião sobre black hat?

Este é um tema polêmico, que depende do projeto e da abertura/conhecimento do cliente. É bem difícil conseguir implementar em projetos de empresas maiores, pois geralmente prefere-se não correr o risco de ser penalizado.

São poucos os cases de black hat de empresas grandes que vieram à tona, me lembro de uma montadora alemã que fez keyword stuffing há muitos anos atrás e de um grande site de turismo que comprou muitos backlinks e acabou sendo penalizado.

19 – Hoje observamos muitos sites de grandes agências e portais se destacando nas buscas. O que faria para igualar ou destacar um novo projeto no mesmo nicho desses concorrentes?

Eu provavelmente iria trabalhar com nichos. É muito difícil concorrer com os grandes, principalmente quando a estratégia é baseada em palavras-chaves muito concorridas (as chamadas head). Uma boa estratégia de long tail e a seleção de um nicho com potencial, pode trazer grandes resultados.

20 – O Google é o “Deus” nas buscas. Se o Google acaba-se hoje o que você faria para divulgar o seu projeto?

Isso é uma dúvida que muita gente do mercado tem, principalmente os mais novos. O que nós fazemos e estudamos é o marketing digital, não o trabalho com essa ou aquela ferramenta. Se o Google morrer amanhã, provavelmente teremos uma concentração do tráfego que ele domina hoje em outra ferramenta, então todo o nosso trabalho será direcionado para lá.

Isso é muito comum acontecer em mídias sociais, apesar do Facebook estar dominando o mercado nos últimos anos. Nosso trabalho está aonde o usuário está e isso nunca vai mudar. O lado positivo é que a possibilidade de novos formatos é infinita, como por exemplo anúncios em games.

21 – Informe os seus projetos online. O que você espera da blogosfera para o futuro e como acha que vai esta o seu trabalho?

Foco no usuário, big data, automação, tudo isso já não é mais uma tendência, mas uma realidade. Acho que o nosso mercado está evoluindo muito rápido ano após ano e em uma velocidade incrível.

Nosso trabalho vai ser continuar estudando e adaptando as estratégias de marketing digital ao surgimento de novas plataformas, ferramentas e formatos, sempre com o objetivo de entregar resultado, pois é isso que o cliente espera.

Sobre os meus projetos, além da Agência 110, estamos focando no mercado de comércio eletrônico com a Metastore no qual possuímos uma plataforma própria, e no Inbound Marketing com a Chatty, nossa agência de marketing de conteúdo.

Pedro Lima – Entrevista com um publicitário sobre search engine marketing
5 (100%) 2 votes
-->Aproveite e cadastre seu email abaixo para receber novas atualizações do site. Após colocar o seu email abaixo vai receber um email de confirmação de cadastro não esqueça de clicar.<--

Receba novidades no seu email:

Delivered by FeedBurner

Deixe uma resposta

Digite abaixo a numeração *