Pequeno Dicionário de Negócios

Escrito por Claudio Gomes

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.
Pequeno Dicionário de Negócios

Existe um ditado árabe que diz que “aquele que prevê o futuro erra mesmo quando acerta”.

Business e informação

A futurologia é exercício que, assim como a meteorologia, baseia-se em premissas que se alteradas modificam o ambiente de negócios, o que dirá do clima da terra, principalmente em 2021, um ano instável, marcado pelas incertezas da recuperação econômica e da indefinição da crise argentina.

No passado não tinha tanto foco no quesito negócios e programação futuro do que poderia fazer em termos de business. Aprendi muito com duas pessoas Rodolfo Sabino e Rafael Camargo. Hoje o meu foco é passar um pouco desse conhecimento e espero que ajude você um dia.

Há sinais de otimismo em 2021?

Sim.

Há nuvens de pessimismo?

Também.

Conhecimento leva resultados

Mas neste movimento pendular, há espaço para ponderar. Este pequeno dicionário quer ajudá-lo a refletir sobre os principais temas dos próximos 10 meses e colocá-lo em contato com as estimativas de analistas de mercados e de associações de classe, um mosaico de opiniões e informações, às vezes contraditórias, para navegar nas águas turbulentas dos próximos meses.

Acesso à internet

Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) há tempos promete um regime especial de tarifação para a Web. E a razão básica é simples: tráfego de internet é diferente do serviço telefônico fixo comutado, pelo qual passa voz. A discussão que se seguirá é qual será o melhor modelo? Há vários em estudo, que podem ser resumidos em dois principais. No primeiro, o provedor e a companhia telefônica negociam um valor pelo tempo de uso da rede telefônica e o ISP cobra do usuário. No segundo, cada um cobra direto, de quem acessa.

Business online
Não é fácil, porém não desista

Na opinião de João Santelli Jr., diretor da Spectrum, consultoria especializada em telecomunicações, a melhor é dar flexibilidade para que o internauta escolha o pacote tarifário mais adequado ao seu padrão de uso. No caso da Inglaterra, quem acessa escolhe o plano que quer pagar. É sempre uma tarifa única, mas o valor varia de acordo com o pacote, que pode ser mensal, por horários do dia, entre outras variáveis.

B2B

Atualmente, mesmo com esta expansão, só as grandes empresas passaram a fazer negócios por meio de uma plataforma digital, um fator que poderá atrapalhar a expansão das transações entre empresas pela Web. “B2B, no Brasil, significa pensar nas multinacionais e nas grandes empresas”, admite Daniel Domeneghetti, diretor da e-consulting. Os e-marketplaces públicos não decolaram e uma das razões, na visão de especialistas, é a alta concentração da indústria brasileira, com poucos competidores.

Consolidação

O aquecimento dos negócios online e a internet começa uma nova fase, em que a união de duas operações visa ao fortalecimento de uma marca, tornando-a maior e com mais força para permanecer no mercado.

E-business

A internet será um componente de todos os novos processos de negócios, avalia o vice-presidente e diretor de pesquisas do Gartner Group Brasil, Cassio Dreyfuss. A rede será a plataforma pela qual investimentos tecnológicos em segurança e da cadeia de suprimentos (supply chain management) se tornarão viáveis. “As empresas vão trabalhar dentro do conceito de B2B, interligando os processos de negócios com seus fornecedores e clientes.”

Incubadoras

O berço do empreende-dorismo brasileiro ganha corpo nas universidades brasileiras. Segundo dados da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos de Tecnologias Avançadas (Anprotec), existem mais de 150 incubadoras no Brasil. Em uma década, o avanço foi extraordinário.

Juros

Os economistas acreditam que, por conta da meta de inflação estabelecida com o FMI, o governo opte por manter as taxas de juro elevadas.

Legislação comércio eletrônico

O Brasil está atrasado em leis sobre o comércio eletrônico, embora os deputados e senadores não tenham economizado a verve e a caneta em projetos. Há mais de 100 no Congresso Nacional que tratam do tema. O substitutivo 4.906, que tem como relator o deputado federal Júlio Semeghini (PSDB-SP) é o que tem mais chances de ser aprovado, pois será analisado em caráter de urgência urgentíssima.

De acordo com Renato Opice Blum, advogado especialista no assunto, o projeto de lei trata da certificação digital, do direito do consumidor em comunicação eletrônica, das informações arquivadas nos sites de comércio eletrônico e da responsabilidade de provedores e empresas de internet. Se tudo correr bem, em maio, o projeto segue para sanção presidencial. Não é o único projeto relevante.

Também em discussão, a legislação sobre crimes de informática, que trata das invasões de sites, destruição e venda de informações. Na visão de Opice Blum, o Brasil está pelo menos dois anos atrasado em relação aos Estados Unidos e União Europeia nos temas do mundo digital. Mesmo na América do Sul, países como Argentina, Chile, Peru, Colômbia e Venezuela avançaram mais e contam com legislações sobre crimes de hackers e de comércio eletrônico.

PIB

A crise econômica mundial ainda respingará no Produto Interno Bruto Brasileiro. A recuperação acontecerá a partir do segundo semestre.

Publicidade online

A gata borralheira do ano passado surpreendeu muitos analistas. Malhados e criticados, os anúncios virtuais fecharam, de acordo com dados preliminares alguns milhões de reais, um crescimento em período de pandemia excelente.

Spam

Praga virtual, o spam ganhou legitimidade jurídica no final do ano passado, quando o Juizado Especial de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, em uma sentença, comparou o envio das mensagens indesejadas à mala direta, não necessitando, portanto, de autorização. A matéria é controversa e desagradou até mesmo as empresas de e-mail marketing.

“A decisão foi muito infeliz, pois o e-mail tem características muito diferentes de uma mala direta”, afirma Stamatios Stamou Jr, presidente da Associação Brasileira de E-mail Marketing (Abemark), que acredita que a decisão é prejudicial para as empresas sérias do mercado. A Associação está se mobilizando e conversando com deputados sobre a conveniência de uma legislação sobre o tema, como acontece nos Estados Unidos, que permite o envio de mensagens, desde que o internauta tenha a opção de descadastramento visível e funcional, ou mesmo na Argentina, que criou conta com um sistema misto, no qual o envio das mensagens é permitido, mas o internauta pode se cadastrar num banco de dados nacional, que reserva o endereço eletrônico e impede o envio das mensagens sob pena de multas.

Leia também: Você sabe matemática?

Tecnologia da informação

As empresas que consomem tecnologia podem gastar bilhões de dólares em hardware, software e serviços. Destaque para os sistemas de gestão empresarial (ERP), que ainda serão prioridade para as companhias. Gastos com segurança e sistemas de compras eletrônicas (e-procurement) também estão na pauta deste ano.

Venture capital

O reflexo da crise de internet atingiu em cheio os investimentos dos fundos de capital de risco em novos negócios.

Varejo online

Percentualmente, as vendas dos comerciantes tradicionais pela internet (B2C) serão baixas. Mas, em valores absolutos, cresce na casa das centenas. Existem alguns relatos o comércio eletrônico no Brasil cresceu.

Junte-se a mais de 18.000 leitores e receba novidades grátis. Receba todas as novidades direto no seu e-mail.
100% livre de spam.

Mais Lidos Hoje:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.