Rede social e o seu processo de transformação de uma organização

“Escrevo este artigo para compartilhar uma experiência sobre o poder das redes sociais e sobre a posição que uma determinada organização precisa tomar em relação a isso.

Rede social e o seu processo de transformação de uma organização

Primeiro vamos entender a diferença básica entre rede social e mídia social. Muitas pessoas perguntam a diferença entre ambas, mas a maioria está focada em responder que a diferença básica é que: rede social é igual a relacionamento e mídia social está voltada para o oferecimento de produtos e serviços em canais como Facebook, Twitter e afins.

De maneira geral, tal afirmação está correta e acrescento que mídia social está dentro de rede social, sendo assim, em qualquer planejamento estratégico digital o primeiro fator a ser trabalhado é a rede social. Vamos entender um pouco dessa didática.

Primeiro: A Rede Social

Se você tem um cliente que está prestes a entrar em ambiente interativo, o primeiro passo é fazer uma pesquisa para descobrir e levantar informações de como está a repercussão dele nos principais canais de redes sociais como Twitter, Facebook, YouTube, Foursquare e dentre outros.

Nessa pesquisa você vai descobrir que de repente o seu cliente está sendo muito mal falado ou muito bem falado e até mesmo os dois quesitos. Por exemplo: você descobre que a marca do seu cliente é mal falada por conta do atendimento e muito bem falada por conta dos produtos.

Feito esse levantamento, você terá que elaborar uma estratégia de atuação em cada canal de rede social a fim de posicionar a marca de maneira positiva na mente da sociedade digital fazendo a mensuração dos dados ao longo de um ou dois meses para elaborar uma nova atuação, que pode ser mantida ou aprimorada, tudo vai depender do que o público-alvo der de retorno através das ferramentas de mensuração que cada rede social possui e utilizando o Google Analytics para mensurar o resultado no site.

Veja bem, estamos trabalhando aqui uma questão crucial para o marketing que diz respeito ao posicionamento e/ou reposicionamento de uma marca, o que ajuda a mesma a ser propagada em ambiente web. Após esse trabalho que pode durar entre 4 e 8 meses é necessário fazer uma nova pesquisa e elaborar uma atuação para trabalhar a mídia social.

Segundo: A Mídia Social

Até aqui você adquiriu para a marca do seu cliente espectadores em redes sociais para trabalhar com eles a mídia social.

Na mídia social, além de fazer sorteios e promoções, você vai trabalhar a divulgação de maneira criativa e interativa dos produtos e serviços. Em suma, aqui você vai trabalhar a sua publicidade na rede social.

Ok! Mas e agora?

Vamos voltar para o tema: a rede social e o seu processo de transformação de uma organização.

Acontece que na maioria dos casos trabalhar rede social implica, quase que obrigatoriamente, fazer mudanças na estrutura organizacional de uma empresa qualquer que você atenda para poder suportar e, principalmente, acompanhar o que o público alvo diz sobre a marca do seu cliente. Do contrário você estará promovendo um grande depoimento negativo, mais do que já existe, contra a marca e ainda terá o apoio dos clientes já insatisfeitos para propagar tal ideia na internet. Lembre-se que no meio físico um cliente insatisfeito conta para no mínimo 10 pessoas, esse número no meio digital vira 10.000. Não queremos que isso aconteça.

A internet como um todo é considerada a maior fonte de pesquisa de mercado que podemos usufruir de uma forma rápida e sem custos elevados principalmente para a realidade das pequenas e médias empresas.

Imagine que a redes sociais são um universo e as mídias sociais os planetas e sistemas solares. Planetas, estrelas, sistemas solares e até mesmo as galáxias nascem cumprem suas missões e morrem, porém o universo prevalece, então saiba pontuar sua estratégia de mídia social, que tem início meio e fim, na estrutura interativa do universo de pessoas que usufruem das ferramentas de redes sociais.

Descubra, através do potencial das pessoas que utilizam a internet, que você e sua marca podem promover um diferencial competitivo para o mercado esticando uma linha de relacionamento positivo em ambiente web para que isso seja traduzido em lucros com o passar do tempo. Porém, volto a dizer, é necessário que tenha uma mudança na cultura organizacional de uma empresa que esteja com fortes comentários negativos sobre atendimento, demoras, produtos, tratamento das pessoas, localização de uma unidade comercial e muitos outros pontos que podem ser descobertos através de uma pesquisa na internet.

Qual a diferença entre mídias digitais e redes sociais?

Ao ler o título deste post, você pode ter se perguntado: “Pra que diferenciar, se representam a mesma coisa?”. Na verdade, os conceitos estão relacionados, mas não representam a mesma coisa. Saber diferenciá-los pode ajudar muito na hora de se expressar sobre o tema.

Além de mídias sociaisredes sociais, existe ainda o termo sites de redes sociais que, esse sim, pode ser considerado um sinônimo. Mas vamos às definições.

O mais fundamental de todos, e o mais antigo também, é o conceito de rede social. As redes sociais existem desde que os humanos começaram a se relacionar, formando agrupamentos sociais. O termo “rede social” é usado para representar os relacionamentos entre as pessoas e/ou as organizações, estando assim conectadas por relações afetivas, profissionais ou de qualquer outro tipo. Dessa forma, as redes sociais existem muito antes de existir internet.

Entendido o que é uma rede social, por favor não diga que alguém que trabalhe com marketing digital é um analista de redes sociais. Para isso, essa pessoa precisaria no mínimo ser um sociólogo. Esse tipo de especialista é um analista de mídias sociais. Vamos entender por quê.

As mídias sociais são os meios onde qualquer pessoa que participe desse ambiente pode receber e divulgar informações. Assim, os blogs (que permitem comentários) e sites como Facebook, Twitter, entre outros, são mídias sociais.

Por fim, os sites de redes sociais. Estes são sites cujo objetivo é expor as redes sociais das quais fazemos parte, exibindo os nossos contatos na Web. Facebook é um dos principais exemplos desse conceito.

Então podemos dizer que sites de redes sociais são sempre mídias sociais, mas nem toda mídia social é um site de rede social.

Se você entendeu direitinho o que expus até aqui, deve ter percebido que eles estão certos. O objetivo do Twitter não é expor nossa rede de contatos, mas disseminar informações publicadas pelos participantes do site. Dessa forma, o Twitter é uma mídia social.

Overdose em mídias sociais

Usar a Internet costumava ser tão fácil. No início, não havia redes sociais maciças como as conhecemos hoje. A menos que você tenha usado AOL ou GeoCities, as comunidades existentes eram aquelas entre blogueirose os fóruns foram construídos para quase qualquer interesse ou hobby. Eventualmente, no entanto, as redes sociais tornaram-se uma parte normal do nosso vocabulário cotidiano e rotina, principalmente depois da ascensão do MySpace, Facebook e agora dezenas de outras plataformas sociais.

Alguns dizem que agora estão sobrecarregados e exaustos com a mídia social. O The New York Times se referiu a esta síndrome como social Network Fatigue (fadiga nas redes sociais) em um artigo publicado em agosto de 2011. O The New York Times se refere aos conectados full time, que agora estão se sentindo sobrecarregados por sua conexão com outros através de uma infinidade de plataformas sociais e via e-mail. Embora muitos usuários de redes sociais como Facebook e Twitter tem visto um aumento no ‘sucesso’ e bem-estar por conta do seu envolvimento nas redes sociais, estes ‘pioneiros’, de acordo com o New York Times, estão experimentando a tal “fadiga nas redes sociais”. Há simplesmente muitas redes sociais e não o tempo suficiente para continuar a fazer bom uso de todas em cada uma delas.

Chris Brogan, autor, jornalista, consultor de marketing, além de um mago das redes sociais, descreve esta fadiga como também o uso intenso das redes sociais sem enxergar retorno ou chegar há um determinado ponto ou bjetivo: “compartilhamos tudo o que podemos compartilhar mas, estamos cansados ​​de executar as mesmas atividades o tempo todo.” No artigo do New York Times, “social media expert” Brian Solis nota que está ciente de algumas de suas conexões através de redes de mídia social que sofrem desta fadiga. Em um post em seu site pessoal, Solis convida os usuários de mídia social para começarem a utilizá-las com uma missão – para conseguir algo. Ele sugere o uso de mídias sociais quando estiver inspirado e sempre se questionarem: “Estou no caminho certo?” para poder ajudar os ‘oprimidos’ com a mídia social a desenvolverem uma estratégia eficaz.

Este é um bom conselho para outros especialistas em mídia social nas mesmas redes assim como Brogan e Solis, ou que aspiram ser igualmente produtivos e criativos através da construção de uma “marca pessoal”. Outros que alavancaram sua conta no Twitter para encontrar um emprego ou até uma campanha de uma pequena empresa deve sempre considerar os resultados de marketing eles querem alcançar – que a mídia social é uma parte única quando usado como parte do negócio. Utilizar a mídia social para o sucesso de uma marca pode ser demorado, especialmente quando você não tem certeza de quais plataformas sociais proporcionarão o maior ROI. Por exemplo, quando o Google+ foi lançado pela primeira vez, alguns gerentes de mídia social entraram em pânico alegando que não haveria tempo suficiente para gerenciar outra plataforma. Lembrando Google+ emitiu aviso do seu fim no mês de fevereiro 2019.

Mas este conselho é para uma pequena minoria de usuários de mídia social. Existem alguns indivíduos que não são “especialistas” ou profissionais de marketing de mídia social. Alguns somente são usuários e utilizam as redes sociais para contatos com familiares, oportunidades de trabalho, amizades, relacionamentos, ou para tomar conhecimento de eventos exclusivos. É fácil e muito rápido ficar sobrecarregado e sentir uma overdose de mídias sociais. Para esses usuários que seguem ou são amigos de profissionais, a overdose pode ser, inclusive, mais intensa devido a não percepção dos profissionais nas maneiras de abordarem suas campanhas.

Para uma pessoa comum, no entanto, a mídia social não é nada impressionante e é usada como uma distração bem-vinda ou ferramenta de passatempo (é só perguntar a qualquer um que trabalha em um cubículo). O usuário do Facebook tem, em média, apenas tem 130 amigos, e a maioria dos usuários do Twitter seguem menos de 64 outros usuários do Twitter.

De fato, das 75 milhões de contas, apenas 12 milhões de contas seguem mais de 64 usuários do Twitter, e apenas 1,5 milhões de contas no Twitter seguem mais de 512 outros usuários. Esses usuários são os viciados FarmVille e preferem comentar as fotos e ler as últimas fofocas de celebridades no Twitter do que constantemente desenvolver e executar uma estratégia para angariar mais amigos e seguidores. Para a pessoa normal, o objetivo de cada rede varia; um pequeno questionário com os seguidores no meu Twitter revelou que os usuários gostam de ficar em contato com amigos no Facebook, colegas do mundo offline que estão na rede e notícias e fofocas no Twitter. Conexões são limitadas em cada rede. Ao contrário do que se imagina, pessoas que podem estar sofrendo de fadiga (como eu), não seguem marcas. Para eles, as redes de mídia social não são uma plataforma para concursos de popularidade.

Você teve uma overdose em mídia social? Talvez você deva considerar os conselhos de Brian Solis e identificar um propósito do seu uso nas mídias sociais. Pelo menos tente identificar a finalidade de usar cada uma das redes sociais das quais você participa.

Por que você tem tantos amigos no Facebook? Você precisa de todos eles?

Você realmente se preocupa com cada uma de suas atualizações? (honestamente, você lê todas as suas atualizações?). Pense em quantas pessoas você segue no Twitter e se você realmente se preocupa com suas atualizações, qualquer um. Além disso, considere quanto tempo e energia está perdendo (para não mencionar o que você está abrindo sua privacidade). Claro, você pode perder não sendo um dos 500 primeiros a se inscrever para a próxima grande coisa, mas se ele realmente é a próxima grande coisa, você pode se inscrever para isso em breve – e você vai ter a certeza de não perder tempo. Se você pode consumir menos mídia social, você vai encontrar-se muito menos sobrecarregado, e talvez realmente ansioso para usar o Facebook quando você tem tempo livre.

Rede social e o seu processo de transformação de uma organização
5 (100%) 10 votes
-->Aproveite e cadastre seu email abaixo para receber novas atualizações do site. Após colocar o seu email abaixo vai receber um email de confirmação de cadastro não esqueça de clicar.<--

Receba novidades no seu email:

Delivered by FeedBurner

Deixe uma resposta