-->Aproveite e cadastre seu email abaixo para receber novas atualizações do site. Após colocar o seu email abaixo vai receber um email de confirmação de cadastro não esqueça de clicar.

Coloque abaixo o seu melhor email e fique atualizado:

Delivered by FeedBurner




Rafael Camargo – Diversas Dicas Sobre Ecommerce e SEO

Especialista SEO

Se você tem um e-commerce ou pretende ter leia urgente as dicas que o Rafael Camargo passou. Se você precisa melhorar o seu e-commerce esse artigo também serve para você.

Convidamos o Rafael Camargo, dono da Link Premium, profissional com 8 anos de experiência em e-commerce para contar um pouco da sua experiência aqui no nosso Blog.

Rafael Camargo eu conheci em um grupo no facebook que na época bombava sobre SEO e Black hat. Eu agradeço muito algumas orientações passadas por ele estava em um período ruim, de saúde em crise síndrome do pânico.

Pentelhei e consegui uma entrevista para você meu leitor. Um detalhe para quem não sabe hoje é o aniversário do Rafael Camargo 16/03.

Conteúdo

Rafael Camargo SEO Para E-commerce

Anote tudo são dicas valiosas para colocar em prática.

Por favor, fale sobre o seu trabalho e como chegou ao mundo digital

Eu cheguei no mundo digital em 2012, quando senti a necessidade de estudar marketing digital para fazer divulgações pagas no Facebook. Com a necessidade de ranquear um e-commerce de negócios pertencentes a minha família e por conta do meu TCC da faculdade onde contemplava um projeto, estudei a fundo SEO White Hat.

Descobrindo a dificuldade de ranquear pelos meios normais, logo na sequência mergulhei de cabeça no mundo Black Hat. Alguns anos, após conheci o Claudio e durante várias conversas e enxergando um nicho a ser explorado fundamos a Link Premium.

Foi um intensivo muito grande atrás de conhecimento para ter esse negócio. Nos fez pensar cada detalhe que já sabíamos sobre PBN para deixa-las mais seguras e naturais e principalmente da minha parte, desenvolver técnicas para conseguir bons domínios expirados com autoridade.

A proposta da empresa foi desde o início, desmistificar tudo que se fazia de errado na venda de links. PBNs nichadas, métricas do Moz e coisas que sabemos que só serve para valorizar o produto. Mas se voce perguntar a alguém experiente vai descobrir que nicho se contextualiza com apenas um artigo, não precisa de um site todo falando sobre o mesmo tema e as métricas do Moz não são as melhores, apenas são gratuitas…

Antes de abrir uma loja como saber para quem vou vender?

Traçar a persona é interessante para que você possa imaginar como se comporta e quais as necessidades do seu público alvo. Já parou para pensar que para alguns o problema não é o preço e sim a exclusividade? E ao mesmo tempo, existe a outra ponta que precisa que seu produto além de ser bom seja barato, pois está sendo vendido para um público jovem que é exigente, porém desprovido financeiramente. Ou ainda sua loja pode vender algo para o público da terceira idade que não é muito tecnológico e vai necessitar de conveniências como venda por WhatsApp.

Pensar no público que você deseja atingir com os produtos que você tem como alvo é uma coisa que tem que ser feita antes e durante numa loja virtual. Antes para poder alinhar se o que você possui tem preço e está de acordo com o que está sendo oferecido no mercado. Voltar a internet para pesquisar o que a concorrência está fazendo também é interessante, pois tudo muda muito rápido. Nunca esqueça que quase todas as pessoas que passam no teu site, provavelmente já passaram ou ainda vão passar na sua concorrência.

Quais são as palavras-chave de ferramenta de busca o meu e-commerce deve focar?

Acho que identificar as palavras-chave que podem trazer o maior número de visitas para o seu e-commerce é bem interessante. Eu nas minhas consultorias sempre busco atingir a head tail do cliente. Se temos força de link pra isso, porque não? Penso que você pode pegar clientes do topo ao fundo do funil e mesmo que não seja a hora dele comprar um dia pode voltar e comprar de você.

Costumo trabalhar de rede arrastão, não me preocupo apenas com a head tail, dá pra trabalhar ela e ao mesmo tempo as long tails. Se, por exemplo, a palavra-chave do cliente principal for “canela de velho”, dá pra trabalhar a “chá de canela de velho” ou “canela de velho em pó” junto que vai inclusive ranquear mais rápido converter mais em proporção.

Qual a forma correta de trabalhar as imagens em um e-commerce para os buscadores?

Acho que além de seguir as boas práticas de otimização on-page (imagens compactadas, renomeadas usando a palavra-chave, preenchimento do ALT, etc.), não podemos esquecer que o internauta não tem o produto na mão para poder decidir a compra.

Logo é fundamental que a foto seja grande, com boa resolução e iluminação para que não deixe dúvidas. Se for um produto de usar, também é importante ter uma versão do produto em um modelo(a). Provadores virtuais também são interessantes.

Coloque-se no lugar do seu cliente e veja se seu site atende isso, esqueça que ele é seu. As pessoas ficam apenas na sua posição achando que tudo dá muito trabalho e não capricham nesse quesito e fica bem visível.

Como saber se a estrutura do site corresponde com as palavras-chave?

Basta perguntar ao dono o que o site vende, examinar os menus e em poucos minutos você já vai entender se isto está claro ou não. Isto parece ser básico, mais acredite, a maioria dos sites que vejo de clientes tem problemas de estrutura, o que dificulta inclusive o entendimento do Google.

O uso da palavra-chave deve ser empregada em todas as páginas, principalmente nas categorias e subcategorias. Não faça “saladas de fruta” tentando ranquear várias palavras-chave ao mesmo tempo. Bote foco em uma palavra-chave e siga usando ela em toda a estrutura. Deixe para usar palavras-chave correlatas em artigos, onde você tem muito mais espaço para “correr o campo inteiro”, como se diria no futebol.

Como saber que a página do produto responde às perguntas dos clientes nas buscas?

Listando as perguntas possíveis de um produto (planejadores de palavra-chave colaboram nesta tarefa) e observando o front da página para ver se orienta todo o necessário e a informação está acessível. Não esqueçam que as pessoas odeiam ler e procurar. Tente deixar as informações importantes de forma clara, objetiva e acessível.

Hoje em dia é necessário ter um blog para e-commerce? Motivo?

Sim, o blog complementa o e-commerce a nível de SEO, pois é um espaço onde você pode trabalhar palavras-chave difíceis de se trabalhar como páginas de categorias e produtos. Imagine que a palavra-chave que você quer ranquear é “sonhar com brincos”. Não consigo ver um jeito melhor de ranquear esta palavra-chave que usando um bom artigo num blog. Não esqueça que o fluxo de visitas deve ser sempre do blog para o site e nunca ao contrário, logo eu não acho interessante que você tenha banners ou blocos do blog no seu e-commerce. Na outra ponta, nunca deixe de mandar o cliente no fim do artigo para a página de categoria do seu e-commerce para ele não deixar de conferir o que você tem. De preferência, coloque o link grifado para se destacar.

Qual a estratégia de um e-commerce para mídia social?

Depende muito do nicho, porém alguns respondem melhor no Instagram, outros no Facebook, Linkedin, Twiter, etc. Creio que você deve escolher o melhor para colocar foco, porém a presença em vários é interessante para captar o máximo de clientes. O Mlabs é uma ferramenta ótima e barata para você postar em todos sem dores de cabeça.

É difícil definir qual é a melhor estratégia, o certo é realmente analisar os concorrentes e fazer testes A/B para ver o que performa melhor para o seu público. Pagar um profissional ajuda a poupar muito dinheiro em tentativas furadas.

Como medir ou saber se os esforços de SEO está valendo a pena no e-commerce?

SEO na minha opinião é bem importante para um e-commerce, pois é relativamente mais barato que anúncios e em muitas palavras-chave, o público é bem descolado no mundo digital e já percebeu que o anunciante só está lá pois está pagando. Já vi casos de mais de 90% dos cliques da palavra-chave serem orgânicos.

Já vi as duas pontas, e-commerce que sobrevivem com mídias pagas e e-commerce que sobrevivem apenas com SEO. Penso que um deve complementar o outro se você quer realmente vender bem em qualquer nicho.

Como encontrar palavras-chave relevantes para os produtos?

Você pode usar diversas ferramentas como o ahrefs, Semrush, Keywordtool.io e até gratuitas como o Ubbersugest ou planejador de palavras-chave do Google Adwords.

Se tem volume de busca e cliques, é porque é procurada e se é procurada é relevante, simples assim. Dê uma olhada na sua concorrência para saber as palavras-chave que estão trazendo tráfego para eles que não existe no seu site. Na minha consultoria eu trago isso para o meu cliente como uma forma de poder trabalhar o que não está sendo visto.

Como fazer promoção e consciência de marca?

O Dino na minha opinião é formidável para isso. Nada melhor que um artigo em um site importante para trabalhar o branding da sua marca. Mas não espere que isso vai te ranquear ou trazer um monte de tráfego de referência, pois eles mesmos já admitiram que não faz.

Quais são as informações obrigatoriamente deve disponibilizar no e-commerce?

Penso que cada página deve conter informações suficientes para o que o cliente precisa naquele momento. Num checkout, por exemplo, saber que é seguro é importante. No carrinho, porque não saber que falta 30 reais para ganhar frete grátis? Na página de categoria penso que os filtros tem que serem bons para o cliente encontrar o que quer em meio a tantos produtos. Nas páginas institucionais, deixe claro quem você é e qual a sua proposta. Informações como telefone, CNPJ, como devolver o produto, garantia, etc. também tem que estar claras e acessíveis.

Daria para passar o dia todo falando dos inúmeros detalhes de cada cantinho do e-commerce que você deveria se preocupar, pesquise conteúdo na internet, estude usabilidade e CRO, pois são fundamentais. Quando estamos falando de um site que vende, o medo de ser enganado é muito grande e qualquer detalhe pequeno pode influenciar a venda.

Qual a diferença entre o direito do consumidor que compra na internet e o direito do consumidor que vai comprar na loja comum?

As lojas comuns podem optar legalmente por aceitar a desistência de compra de uma cliente e as lojas virtuais não pelo simples fato do cliente não poder ver pessoalmente o que está comprando.

O internauta tem exatos 07 dias a contar da data da entrega para decidir se vai ficar com o produto ou não e não precisa de motivo algum para desistir. Os custos de retorno também não são dele, logo se vai abrir uma loja virtual, preocupe-se em suprir o cliente com o máximo de informações que conseguir. Isso vai evitar que você tenha que pagar o frete de volta e reembolsar o cliente.

Um canal de comunicação pode influenciar em uma venda online? Como usar?

Sim, com certeza. Imagine que você está em dúvida ao comprar um produto, pois não confia na marca. Ou pior ainda, não confia no site que está sendo vendido. Ai você fica namorando o produto porém com medo de comprar. Até que você vê na TV ou melhor ainda, você vê o seu influenciador digital favorito falando que é confiável. Obviamente você vai perder o medo e comprar.

Entenda que o que impede que todo site venda, não é apenas não ter visitas. Mesmo tendo visitas, o consumidor tem ainda muito medo de fazer compras online. Trabalhe a sua marca ou vá vender num marketplace, estas são as saídas.

O que você acha de usar os correios como parceiro de logística e como evitar atrasos para entrega do produto?

Os Correios melhoraram muito. Alguns anos atrás despachar algo pelos Correios era um desafio de testar a paciência. Era difícil uma encomenda que não atrasasse. Se quisesse resolver algo, só abrindo protocolos de reclamação.

Depois que foi trocado o seu comando ainda no governo Temer e depois dando continuidade com o atual governo melhorou muito. Hoje é a melhor opção para produtos leves (abaixo de 1 kg) e que necessitam de cobertura nacional, porém já existem opções por transportadoras bem interessantes, vale conferir.

Mas mesmo assim, o lojista também pode colaborar. Pense que ninguém gosta de esperar e se já vai demorar o transporte, porque não se organizar para expedir a caixa em tempo recorde? O cliente vê isso e mesmo que os correios atrase, vai voltar a comprar, pois ele sabe que o fornecedor fez a parte dele.

Como controlar o estoque de um negócio online?

A melhor maneira é fazendo o uso de um ERP. Hoje em dia tem opções baratas (partindo de 50 reais) e boas como o Bling que integram com a sua loja virtual, fazendo todo o controle de estoque, vendas, notas fiscais, integrações logísticas, etc.

Para quem está começando com e-commerce por onde começar a divulgar?

SEO é uma solução bem em conta pra quem está começando. Lembrem-se que todo negócio precisa de dinheiro para existir e o que eu mais vejo é gente querendo fazer dinheiro sem investir dinheiro. Casos raros dão certo e geralmente alguém enganou alguém.

Sim, você consegue fazer SEO estudando conteúdos grátis para otimização e até pagos com baixo custo, trocando links (que hoje em dia está bem arriscado), fazendo “anéis de cebola” de links (desculpem a brincadeira, rsrs). Mas até hoje não vi algum case de alguém que fez isso estar no topo de alguma SERP bem disputada.

Então tenha em mente que se é o topo que você quer, você deve investir em conhecimento, bons links e tudo mais. E se você botar na balança, vai ver que ainda assim vai ser barato, pois 1 mil reais por mês em anúncios não é nada hoje em dia, porém em 1 ano são 12 mil. Com 12 mil em SEO você pode ser o “pica das galáxias” em muita SERP disputada e se parar de pagar vai continuar recebendo visitas todo mês.

Hoje como competir ou definir um produto para venda tendo como concorrente Mercado Livre?

Se você pode vender no mercado livre pra que concorrer com ele? Sou completamente favorável ao uso de marketplaces como complemento de vendas para o seu e-commerce.

Desde que o Google passou a considerar no seu algoritmo EAT (Expertise, Authoritativeness and Trust), é possível que você possa ser tão especifico e de autoridade considerável que o Google te mostre na frente de grandes sites.

Capriche nisto e você poderá passar localmente ou quando o que o cliente deseja é comprar no especialista sobre o item pesquisado.

Como definir um gateway de pagamento?

O melhor ambiente de pagamento é aquele que não te tira da própria página para que você vá pagar em outra página. As pessoas morrem de medo disso, acham que estão indo para um site fake pagar. Pense nisso quando for desenvolver o seu site.

Porém detalhes como: proteção contra chargeback, boas taxas de operação e antecipação, aceitar todas as bandeiras e principalmente uma empresa que não negue tudo e aprove bem vai ajudar o teu negócio. Nomes famosos como Mercado Pago, Paypal tmb ajudam a dar credibilidade. Hoje o Paypal contempla todos os requisitos de forma perfeita na minha opinião.

Para terminar, que mensagem você gostaria de deixar para quem está começando e informe os seus projetos online. Por favor, deixe alguns conselhos sobre o mercado.

Bem como já deixei inúmeros conselhos durante as minhas respostas aqui vai o meu Merchant:

A Link Premium conta com um serviço de venda de links e consultoria de SEO para fazer o seu projeto decolar. Trabalhamos com venda de links avulsos e em pacotes com desconto por quantidade.

Vendemos nossos links pela autoridade medida pelo ahrefs, o DR (Domain Rating). É produzido manualmente um artigo otimizado de 500 palavras contextual ao seu nicho e com isso damos ao seu site aquele boost que faltava para passar a concorrência. Confira em linkpremium.me.

1 comentário em “Rafael Camargo – Diversas Dicas Sobre Ecommerce e SEO”

Deixe uma resposta