O guia completo do Google Notícias – O melhor mecanismo de pesquisa para notícias de última hora

Cada vez mais as pessoas têm buscado formas de se tornar relevante no Google e conquistar mais tráfego.

Por conta disso, muitos procuram se adequar ao Google Notícias. Mas você sabe quais são os fatores de classificação ou mesmo como se tornar elegível?

A verdade é que, por mais que essa ferramenta seja uma ótima forma de conquistar tráfego e gerar mais resultados para os seus sites, deve-se fazer todo um esforço para poder se enquadrar na plataforma. Contudo, ainda há muito desentendimento a respeito desse assunto.

Muitos ainda tem uma ideia errada sobre o que é o Google Notícias e o Google Discover. A mesma estratégia pode não funcionar para ambos, por exemplo. Ademais, ainda há dúvidas sobre como se tornar elegível ou mesmo ou quais são os fatores de classificação.

Por isso, com base em informações obtidas pelo próprio webinar do Google, onde o foco da discussão era o Google Notícias e o Google Discover, resolvemos reunir as principais ideias a respeito do assunto, desde como se tornar elegível até quais são os fatores de classificação.

Então, para obter todas as informações a respeito desse assunto, é só conferir esse artigo até o final sobre, como fazer para aparecer notícias no Google. Sem mais delongas, vamos ao que importa.

Conteúdo

O que é o Google Notícias?

Antes de qualquer coisa, é essencial que você entenda sobre o que é o Google Notícias, até mesmo para desmistificar algumas questões. Em suma, nada mais é que um aplicativo feito pelo próprio Google, onde o intuito é dispor de notícias relevantes.

O Google Notícias é um agregador de notícias que fornece aos usuários as últimas manchetes do mundo. É também um poderoso motor de busca que pode ser usado para encontrar todo o tipo de informação sobre qualquer assunto. Ele oferece as últimas manchetes de milhares de publicações, bem como alertas de notícias de última hora e vídeos de eventos de notícias de última hora.

O grande diferencial desta plataforma é que ela apresenta um fluxo contínuo e personalizável, por intermédio de milhares de editores e revistas. Fora isso, é uma ferramenta muito cômoda, haja vista que está disponível para Android, iOS e na Web.

Então, os sites que aparecem no Google News conseguem captar tráfego de todas as três plataformas, e esse é o principal motivo pelo qual as pessoas têm o intuito de aparecer no Google Notícias. O mais interessante a respeito do Google News diz respeito ao seu funcionamento.

E isso acontece porque ele se utiliza de algumas técnicas de inteligência artificial a qual analisa, em tempo real, o fluxo de notícias que estão sendo publicadas. Assim, ele entende quais pessoas, coisas ou lugares tem interesse ou estão envolvidas na reportagem.

Dessa forma, os leitores conseguem acompanhar em tempo real todo o desenvolvimento de uma notícia, além de compreender o que está acontecendo ou mesmo qual tem sido a repercussão de um determinado evento.

O que é o Google Discover?

Agora, em relação ao Google Discover, a primeira coisa que você deve saber a respeito é que não se trata da mesma coisa que o Google News. Ainda que aparentam ser a mesma coisa e que haja algumas semelhanças visuais, são coisas distintas.

O Discover nada mais é que um recurso também do Google, mas voltado apenas para os dispositivos móveis. Nesse caso, ele também oferece conteúdos aos usuários, mas com base em seus interesses, sem que seja necessário fazer uma pesquisa.

Então, devido ao histórico de pesquisas, interesses, gostos pessoais, hobbies etc., o Google fornece uma série de notícias que se relacionam com o seu perfil. Dessa forma, se você costuma consumir bastante conteúdo sobre iPhone, o Google vai lhe mostrar conteúdo relacionado a isso.

Essa é uma grande novidade. Afinal de contas, até agora, o Google sempre foi reativo, isto é, o usuário fazia uma pesquisa para só então o buscador entender e oferecer links de acordo com aquela pesquisa única.

Agora, já não é bem assim. O Discover consegue identificar, sem qualquer busca prévia, quais são os seus gostos. E, por se tratar de duas coisas que funcionam de maneira diferente, não há como estipular as mesmas estratégias para ambos.

Mas, ainda assim, deve-se saber quais são os fatores de classificação, como aparecer no Google Notícias e como se tornar elegível. É sobre isso que iremos falar a seguir.

Como aparecer no Google Notícias?

A dúvida mais frequente sobre o assunto com certeza diz respeito a como aparecer no Google Notícias. Quanto a isso, a primeira coisa que você deve saber é que há diferentes interfaces de notícias, sendo elas as seguintes:

  • Google News Briefing: nada mais é que o site do Google News.
  • Google News Headline: trata-se do aplicativo, onde há resumo de notícias, principais notícias e manchetes.
  • Top Stories on Search: é quando o usuário faz alguma pesquisa no Google e aparece algumas notícias relacionadas.
  • News tab on search: é a aba do Google dedicada a Notícias.

Como fazer aparecer as notícias no Google?

Essas são algumas diferentes interfaces de notícias do Google, mas então, o que fazer para aparecer em cada uma delas? Há alguns anos, a empresa detinha um sistema onde era necessário se inscrever em uma plataforma para poder aparecer no Google Notícias.

No entanto, vale salientar que hoje em dia não é mais assim, não há mais essa necessidade de se inscrever em alguma ferramenta para que o Google considere o seu conteúdo. Hoje em dia, a empresa tem uma inteligência artificial capaz de identificar se um artigo é elegível ou não para aparecer lá.

Quais são os fatores de ranqueamento para o Google Notícias
Como fazer aparecer as notícias no Google

Ainda é possível sim se inscrever nessa plataforma, mas é válido salientar que a inscrição não é garantia de que você irá aparecer lá. Sendo assim, é cada vez mais importante entender quais são os princípios para aparecer no Google News.

Mas o que o Google quer?

Certo, você entendeu que os conteúdos são lidos pelos robôs, os quais avaliam se um artigo deve ou não aparecer como notícias. Mas, então, o que o Google quer? Quais requisitos devo seguir para que os artigos entrem na ferramenta?

Um dos pontos mais importantes, do qual você deve se enquadrar, é o que o Google chama de “EAT”. Isto é, os sistemas querem conteúdos que parecem ter alto nível de:

  • conhecimento;
  • autoridade;
  • credibilidade.

Esses são os requisitos principais, os quais todos os sites que aparecem no Google News tem, mas não é só isso. A empresa ainda leva em consideração se o seu site tem um histórico consistente de produzir conteúdo a notícias que sejam originais.

Fora isso, outra coisa que o Google exige é que, para se tornar elegível, o artigo deve atender a todas as políticas de notícias.

Quais são os fatores de ranqueamento para o Google Notícias?

O ponto crucial, que todos querem saber, é o que o Google leva em consideração para ranquear os artigos. Além dos anteriores, outras coisas fundamentais que devem estar de acordo, são as seguintes:

  • Relevância: se o conteúdo tem ligação com as buscas que os usuários fazem.
  • Importância do tópico ou da matéria de notícias: uma notícia pode ser escrita e pautada de vários ângulos ou visões. O Google avalia a importância do tópico, se ele é relevante.
  • Autoridade do conteúdo: se ele dá informações que são críveis e o quanto um site é autoridade para falar sobre o assunto. Os sistemas do Google tem mecanismos para definir isso.
  • Frescor: As pessoas estão buscando notícias. Por isso, querem aquilo que há de mais recente e atual.
  • Localização: às vezes a pessoa quer ler notícia que se relacione com o local em que vive. Por isso, o buscador também leva o quão relevante é essa informação para a notícia.
  • Idioma: obviamente, o usuário quer ler aquilo que seja do seu idioma.

Para você ter ideia sobre conteúdos jornalísticos também existe um tutorial do próprio Google: Destaque-se no Google Notícias – Ajuda do Central do Editor

Como encontrar as notícias?

Você pode usar o próprio serviço News Google: https://news.google.com/

Ou pode buscar as reportagens por:

Qual o melhor canal de notícias do mundo

Quais os melhores canais de notícias

Últimas notícias de hoje

Notícia bombástica de hoje

Quais as manchetes de hoje

Quais as notícias do dia de hoje

Maiores portais de notícias do mundo

Google notícias e clima

Manchetes atualizadas

Notícias em destaque

Notícias locais

Primera hora

Outros canais para encontrar notícias:

Youtube

Twitter

Instagram

Linkedin

Reddit

Como ser elegível ao Google Notícias?

A principal coisa que o Google preza é pela transparência. Esse é o ponto mais crucial para que todos os seus artigos se tornem relevantes e sejam elegíveis para o Google Notícias. Mas o que exatamente quer dizer isso? 

Entender esse conceito é fundamental. Mas é válido destacar que, para o Google, há duas formas de transparência. Uma, refere-se apenas ao artigo em si. Já o outro engloba partes mais complexas, de um todo. Abaixo, iremos falar um pouco mais sobre elas.

Transparência a nível do artigo

Ou seja, nesse tópico, refere-se a toda transparência de um artigo, apenas. Sendo assim, se você quer que todos os seus artigos de notícias apareçam na ferramenta, algumas das práticas que você deve ter como algo comum é:

  • Nome do autor: o Google quer saber se tem o nome do autor no artigo, para saber que é de uma pessoa, e não de uma equipe X.

Isso não quer dizer que você nunca pode publicar artigo feito pela equipe, afinal de contas, às vezes isso até faz sentido. Mas, geralmente, a maior parte de um artigo é escrito por um só autor.

E essa é uma das formas de dar a transparência, informando quem criou o conteúdo, quem está por trás. Dessa forma, o leitor sabe se é uma pessoa de autoridade, que entende do assunto, que desenvolveu todo o conteúdo, por exemplo. E é por essa razão que o Google leva essa informação em consideração.

  • Data de publicação: a melhor coisa a se fazer é informar a data da criação do conteúdo logo ao lado do nome do autor, pois fica mais visível. A pessoa que está em busca de notícias quer algo relevante e atual.

Informar quando o conteúdo foi produzido e publicado é uma das formas de oferecer transparência, uma vez que o leitor sabe se a matéria ainda é relevante para a atualidade ou não.

E, ainda dentro desse contexto, vale salientar que não é sempre que o Google preza por conteúdos frescos. Às vezes, por mais que um artigo tenha muito tempo da sua publicação, ele ainda pode ser relevante.

O ideal é que todos os seus artigos tenham essas duas informações que, apesar de ser algo básico, faz uma grande diferença, haja vista que demonstra transparência para o Google e para os leitores.

Transparência a nível do site

Agora que você já entendeu um pouco em relação a transparência a nível dos artigos, outra atitude que você deve tomar, diz respeito ao seu site. O Google também requer que o seu site seja transparente, mas como fazer isso?

Por intermédio de algumas simples atitudes, o buscador consegue identificar o quão transparente seu site é. Dentre as características, podemos citar:

  • Política e propósito: O Google quer saber a respeito das políticas e propósitos do site, para que as pessoas saibam quem está por detrás da publicação.

Não é a mesma coisa que o nome do autor, uma vez que envolve todas as pessoas que estão envolvidas no seu site, isto é, toda a sua equipe. Por isso, ter uma página dedicada a política e o propósito do seu site é uma coisa a se incluir.

  • Informação sobre equipe e editoria: assim, as pessoas sabem quais são as qualificações, quais são as creditações, qual é o background e porque estão escrevendo.

Quando você vai ao médico ou procura qualquer outro prestador de serviço, não é de seu interesse saber quem é a pessoa ou quais são as suas competências técnicas? No Google, isso não é diferente e, inclusive, essa também é uma forma de transparência aos leitores.

  • Informação de contato não genérico: sempre que for possível.
  • Onde cada pessoa está localizada? assim, torna-se possível entender de onde vem a informação.
  • Há financiamento? existe alguma fundação por trás, que financia o site?

Para o Google, essas são as principais formas de demonstrar que o seu site é transparente para com o leitor, que não esconde ou omite nenhum tipo de informação, mas que tem responsabilidade para com a verdade.

Lembrando que você não precisa ser um repórter para escrever as notícias jornalísticas.

Google Discover

É fundamental destacar que o Discover não é a mesma coisa que o News, ainda que muitos confundam e acabem por achar que sim. Na verdade, trata-se de algo separado.

Aqui, o intuito é tentar entender o interesse das pessoas baseado nas buscas, atividades e visitações anteriores e mostrar conteúdo que tenha a ver com isso. E esse é um grande avanço, uma vez que o buscador deixou de ser só reativo.

Isto é, ele não responde apenas às suas pesquisas. Na verdade, ele traça quais são os seus interesses ou gostos pessoais. E, baseando-se nisso, ele lhe traz informações que julga ser útil.

Exemplo: uma pessoa quer comprar um carro e, por isso, está buscando sobre veículos elétricos. Nesse caso, obter notícias relacionadas a essa finalidade será de grande valia. Esse é o intuito do Discover, oferecer aquilo que é de interesse, sem que haja uma busca prévia.

No entanto, o grande problema é que o Discover é muito imprevisível para os editores, uma vez que não se tem um tráfego sempre igual. Fora isso, é difícil entender quantas pessoas buscam por um determinado assunto, então não há como prever quantas pessoas irão acessar o conteúdo.

Ademais, o interesse da pessoa pode mudar e, por isso, o conteúdo que se relaciona a esses interesses também muda muito. Então, o Discover é muito flexível de acordo com os gostos de cada um e não há previsibilidade. Sendo assim, não é algo que se possa otimizar.

Fatores mais importante que aparecem no carrossel de principais notícias

É uma combinação de fatores. Alguém faz uma busca e o Google tenta entender se faz sentido mostrar isso no carrossel de principais notícias. Às vezes há algo que está interessando todo mundo e acaba aparecendo por lá.

O Google também quer mostrar conteúdos que saíram a algumas horas ou na última hora, mas nem sempre é assim. Há casos em que mostra um artigo que já tem dois dias, por exemplo.

Ou seja, se o Google entende que ainda é relevante, ele mostra. Então, faz-se um equilíbrio entre o quão novo é o quanto está relacionado com a história fonte.

O AMP ajuda a ter alcance no Google ou Google Notícias?

O AMP nunca foi um sistema de ranqueamento. Ele pode sim ajudar na entrega de velocidade ao conteúdo, e isso sim é um fator de ranqueamento. No entanto, não é raro ver sites que não possuem AMP mas que tem uma ótima velocidade.

Isso quer dizer que o AMP não é algo obrigatório se o seu site já tiver um bom desempenho. Atente-se aos fatores que são relevantes para o ranqueamento, e há mais coisas a se considerar do que apenas a velocidade de carregamento.

Inclusive, há conteúdo que está no carrossel de principais notícias que nem sequer usa AMP. O importante é ter uma boa experiência de página, rápido e eficiente. É isso que as pessoas querem.

Agora, se tudo for igual, e tiver dois tipos de conteúdo falando sobre a mesma coisa, em termos de relevância, o que tiver uma experiência de página melhor, leva a vantagem, e não aquele que tem AMP.

Sendo assim, ter AMP não é nem um fator de ranqueamento, desempate ou mesmo ajuda a ter mais alcance. Então, não tenha como algo obrigatório, apenas utilize quando realmente melhorar a experiência de página.

É de extrema importância manter o site rápido para carregar as notícias e manter o site atualizado é outro fator.

O que é atualização principal e o que é fator de ranqueamento EAT?

Outros dois pontos que causam certas dúvidas para os editores diz respeito às atualizações principais e o fator ranqueamento EAT, que citamos no início do artigo. Entender melhor sobre ambos é uma das formas de se tornar elegível.

Por isso, iremos explicar com um pouco mais de detalhe sobre esses dois conceitos logo a seguir, nos próximos tópicos.

Atualização principal

Ou seja, é quando o Google faz uma mudança no sistema de ranqueamento. Ao fazer essa mudança, tudo é avaliado para ver se ajuda, e se faz isso de várias formas.

Mas, dentre os mais comuns, estão os experimentos ao vivo, que nada mais é que um sistema de pessoas no mundo que ficam fazendo a pontuação em vários locais do mundo e idiomas.

Quando o Google quer fazer uma mudança, solicita a essas pessoas para fazer algumas “Query”. Ou seja, fazem uma busca e a busca fala como está funcionando o ranqueamento. O intuito é dar novas oportunidades a conteúdos que são relevantes.

Então, se por acaso o seu site perder algumas posições ou deixar de ter o tráfego de antes, isso não quer dizer que o seu site foi penalizado ou que você fez algo errado, apenas que o sistema está tentando recompensar melhor os sites que talvez não estejam tendo o desempenho que deveriam.

Ademais, vale salientar que essa atualizações acontecem várias vezes ao ano e que, a depender do caso, pode mudar algumas estruturas e entendimentos. Por isso, é essencial ficar atento ao que mudou, caso houver.

E-A-T

“EAT” nada mais é que a sigla para “Expertise, Authoritativeness and Trust”. Ou seja, expertise, autoridade e confiabilidade. Apesar de ser um conceito um tanto simples, ele faz parte das diretrizes de qualidade do Google, essencial para quem quer aparecer no News.

Inclusive, esse é sim um importante fator de ranqueamento para diversos sites que querem aparecer tanto no Google Notícias quanto no Discover. E isso acontece porque, através dele, constrói-se um conjunto de práticas de SEO que o próprio buscador recomenda.

Inclusive, de acordo com o blog do Google Webmasters, essa é uma diretriz para auxiliar os profissionais a entenderem um pouco mais sobre o que a plataforma entende por qualidade. Por isso, é essencial que todos estudem esse material.

Ao ver o conteúdo, o Google quer entender o conhecimento, autoridade e credibilidade do referido artigo. E o buscador dá quais são essas diretrizes para conquistar tal resultado, a qual possui cerca de 300 páginas de orientações..

No entanto, vale salientar que o Google não dá uma pontuação EAT para o site, é apenas uma forma de alinhar o que seres humanos falariam do seu conteúdo ou como o considerariam.

O que o Google está fazendo para priorizar relatos originais?

Outra questão a respeito do news diz respeito a se Google prioriza os relatos originais, e a resposta é sim e, inclusive, há constantes melhorias quanto a isso.

O buscador valoriza relatos originais e quer que isso seja recompensado. Por isso, tem todo um sistema que tenta entender o que é original para que ele seja bem apresentado e tenha o devido reconhecimento e relevância.

Inclusive, no ano de 2018, houve melhorias, as quais ainda vem sendo trabalhadas para melhorar cada vez mais, deixando os resultados ainda mais precisos.

Afinal de contas, supondo que surgiu um furo jornalístico, a qual muitas pessoas vão falar a respeito dela, o original tem que estar lá, para que todos possam ver e até mesmo entenderem todo o contexto de um determinado assunto. Por isso, os conteúdos originais têm sido recompensados.

No entanto, se você escreveu algo original, não quer dizer que é a coisa mais relacionada a um tópico de notícias. Pode ter muitas outras coisas originais acontecendo. Ou seja, não quer dizer que só porque é original que é o mais relevante e que, obrigatoriamente, terá destaque.

Algo original tem sim uma grande relevância, mas esse não é o único fator. Deve-se avaliar algumas outras questões, inclusive de ranqueamento, elegibilidade ou mesmo o fator E-A-T.

É melhor atualizar um conteúdo existente ou publicar um novo?

Isso vai depender de você, da situação em si e do próprio conteúdo. Se for pouca mudança, faz sentido atualizar o artigo existente, fazer algumas adições, correções ou mesmo fazer uma nota em alguns pontos específicos do conteúdo.

E, quando isso acontecer, é importante também atualizar a data e o horário da publicação, pois também é uma forma de trabalhar a transparência do artigo, algo que o Google também leva bastante em consideração.

Agora, por outro lado, faz sentido publicar um novo artigo apenas quando de fato se tratar de um novo artigo, com informações novas, etc. Ainda que seja sobre um tema relacionado, ou mesmo a continuação de alguma notícia, o ideal é criar um novo.

Inclusive, nessa situação, é muito importante fazer uma citação do artigo original, para facilitar o entendimento do contexto de determinado assunto.

Quais são as melhores práticas para melhorar a indexação?

Outra grande preocupação diz respeito a quais são as melhores formas de facilitar a indexação de um conteúdo.

Quanto a isso, a primeira e mais importante é: garantir que você consiga agrupar seu conteúdo. Ou seja, entender que ele está disponível. Uma ótima forma de fazer isso é utilizando o sitemap do Google Notícias, que é uma boa alternativa.

No entanto, vale destacar que, mesmo sendo uma boa prática e que facilita muita coisa, ele não garante que dará um rastreamento mais rápido, mas te dá mais dicas e guias de como passar pelo site, em especial quando há muito conteúdo. Ajuda a otimizar o rastreamento que o Google faz.

Tem uma maneira de dizer ao Google a região geográfica de um artigo?

Sim, e essa é até mesmo uma questão que auxilia na transparência. Afinal de contas, há vezes em que a pessoa quer ler um conteúdo que se relaciona com a sua cidade ou região e, informar isso de forma visível, é uma questão a se atentar.

Isso dá mais detalhes, e é possível indicar de várias formas que o artigo é de um certo idioma ou de uma determinada região, mas como fazer isso?

O Google é uma ferramenta muito inteligente, então, às vezes, apenas pelas palavras-chave o buscador já consegue identificar. Mas, fora isso, você pode utilizar algumas técnicas para facilitar, como é o caso da Tag Hreflang.

Quais são as boas práticas para o título e descrição do artigo? 

O Google quer que se dê um resumo conciso do que é o artigo. No entanto, não há um limite. Assim, se você acha que o título deva ser mais longo ou mais curto, a decisão é sua. Mas leve o bom senso em questão.

Afinal, o seu leitor deve saber do que se trata um determinado artigo ou, do contrário, ele não vai clicar para ler. Então, às vezes, um título muito longo pode não converter tanto. Sendo assim, atente-se a essa questão.

Agora, em relação a descrição, o Google mostra o que se chama de “snipet”, baseado nos resultados ou com base em outro lugar da página. É dinâmico. Às vezes a pessoa faz uma busca, e o Google quer apenas mostrar uma sessão da página que seja relevante à questão.

Como evitar violações de políticas para editores quando a notícia envolve assuntos que políticos, celebridades e clubes de futebol não gostam? Como evitar ser relatado como um assunto de ódio?

Quanto a isso, fique sossegado. O Google tem sim uma política contra essa prática, mas essas políticas têm a ver com defender ódio contra um indivíduo ou grupo. E, na maioria das vezes, um artigo de notícias não faz isso.

Então, por mais que o título ou descrição do artigo tenha alguma informação que pessoas públicas não gostem, saiba que o Google não irá lhe punir, desde que não inflija a política de disseminar o ódio, por exemplo.

Perguntas frequentes

Esse ainda é assunto que gera certas dúvidas, e é essencial esclarecer todas elas. Por isso, nos tópicos seguintes, iremos responder as perguntas mais comuns a respeito do Google Notícias e do Discover. Confira abaixo.

Como cadastrar um site no Google Notícias?

O caminho para cadastrar é direto no Google News Publisher Center: Publisher Center

Qual é o número de publicação de notícia mínima para aparecer no Notícias?

Muita gente ainda acredita que, para se tornar elegível ao Google News ou Discover, deve ter um número X de conteúdos. Mas, quanto a isso, vale salientar que o buscador não exige uma quantidade específica, você pode ter apenas um e esse único entrar para o Google Notícias.

Há um máximo de otimização permitido por artigo e, caso excedido, o Google remove?

Não. O que o Google tem é um guia de boas práticas para iniciantes, mas são coisas que todo mundo deveria fazer. O que não se pode fazer é atitudes que o Google considera como Spam. 

É necessário ter um sitemap para notícias?

No passado era necessário, mas já existem relatos do Google avisando que não é necessário, porém ainda usamos e aconselho se for possível.

Qual o tamanho da imagem de capa?

Não esqueça que é necessário usar uma imagem de destaque 1200x675px.

O backlink ainda é uma parte essencial do SEO?

Sim. O Google ainda considera como as pessoas estão fazendo a ligação com o conteúdo. No entanto, não se deve fazer isso de qualquer jeito, pois isso pode acabar surtindo o efeito contrário.

Ter um monte de link não é algo necessariamente vantajoso. Eles devem possuir qualidade, isso sim é relevante. O Google quer entender o valor e relevância dos links. 

Afinal de contas, as pessoas só referenciam aquilo que tem relevância ou é autoridade. Por isso, obter backlink é sim uma prática essencial para SEO.

O que é considerado notícia local?

Alguns acham que notícia local é apenas aquelas que se referem a uma cidade específica, mas não é verdade. Considera-se notícia local tanto as da cidade quanto a regional. Pode variar.

Há anúncios que não são recomendados e atrapalham o desempenho?

Os anúncios não têm impacto no desempenho da sua busca. A busca é algo que não é pago, então, o ranqueamento é completamente independente dos anúncios. São coisas distintas. Ter um número X de anúncios não vai impactar no seu posicionamento. Você também pode monitorar como está o comportamento nesse tipo de conteúdo usando um mapa de calor.

A audiência de um site tem impacto na aparição no Google notícias?

Não. As pessoas que querem obter notícias não estão interessadas na audiência do seu site, e sim nas informações que estão contidas. Por isso, a audiência não é nem nunca será um fator para aparecer no Google News.

Como saber se o site está tendo um bom desempenho no Google News?

Você deve ir no console de “Busca”. Lá, vai mostrar as visualizações que você está tendo, o qual já é um bom parâmetro para medir. Ou também pode verificar no search console. No entanto, é interessante destacar que, naturalmente, haverá notícias com maior tráfego que as demais.

A grande questão é não achar que esse parâmetro irá se repetir nos dias ou meses seguintes. Uma vez que uma notícia deixa de ser um hype, o seu site irá voltar a ter as visitações normais.

Mas isso não significa que o seu site tem um mau desempenho, apenas quer dizer que ele passou por um período mais fervoroso. Ou seja, procure avaliar qual é a sua tendência geral, e não os picos. 

Como o Google ranqueia conteúdos automatizados e quais são as boas práticas?

Não há como saber que o conteúdo foi gerado de forma automática, uma vez que não há sinal de que isso aconteceu. E se for algo relevante e útil, quanto um que foi escrito por um ser humano, não há problema.

O Google leva em consideração se um conteúdo foi bem escrito, e isso independe de ser automatizado ou não. Sendo assim, é possível que apareça um conteúdo desse tipo em posicionado, desde que ele seja bem escrito.

Conclusão

Através desse artigo você pôde perceber alguns dos principais princípios de elegibilidade e quais são os fatores de ranqueamento para o Google Notícias. Ademais, também notou que há diferença entre o Discover e o News.

Por isso, para obter bons resultados em ambos, não quer dizer que se deve aplicar as mesmas técnicas em ambas plataformas.

5/5 - (9 votes)
1 comentário
  1. Eduardo Freitas Diz

    Excelente matéria, Claudio Gomes. Parabéns! Bastante esclarecedora.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Consulte mais informações