Raquel Blog Plano B Life – Entrevista Com Uma Jovem Empreendedora

Fico feliz quando eu vejo o público feminino na área de marketing digital e como esta crescendo. E hoje vou apresentar para vocês essa jovem empreendedora, Raquel do Blog Plano B Life que passa dicas fantásticas. Acompanhe essa entrevista até o final e veja o conhecimento que ela passa.

Gosto muito de conhecer e entrevistar o público feminino e fico super feliz quando elas aceitam uma entrevista. Essa é mais uma entrevista que eu fiz com a Raquel do Plano B Life https://www.planoblife.com.br/.

Quer ganhar mais conhecimento? Acompanhe até o final.

Se você precisa de mais informações para o seu negócio online veja as dicas que a Raquel do Blog Plano B Life passa.

Plano B Life – Dicas sem mistérios e direto ao ponto

1 – Fale sobre o seu trabalho e como foi a sua caminhada até o mundo digital como plano b online.

Sou publicitária e tenho mais de 20 anos trabalhando no mercado de marketing e publicidade. Atuei em empresas e em agências atendendo grandes clientes, mas sempre sonhei em ter um negócio próprio.

Em 2010, recebi um e-mail americano que falava sobre como ganhar dinheiro pela internet. Nessa época comprei muitos cursos americanos furados para aprender como fazer e perdi muito dinheiro nesse processo.

Durante esse tempo continuei trabalhando no mercado formal, mas ainda buscando uma forma de trabalhar pela internet.

Eu tinha certeza que era viável, só não tinha ainda achado um caminho.

Como eu trabalhava com marketing de relacionamento e já usava algumas ferramentas de marketing digital, eu via na prática os resultados com meus clientes.

Então eu saiba que era possível criar resultados semelhantes mesmo que em menor escala no começo.

De 2010 a 2014 criei alguns blogs, mas não tinha muita ideia de como podia monetizá-los, além de ter criado na plataforma errada e de não ser muito apaixonada pelos temas.

Nesse período fiz alguns cursos de marketing digital presenciais, mas achei todos muito fracos.

Também comecei a ler todos os blogs sérios americanos de marketing digital que passei a conhecer e aprendi muito com eles.

Em paralelo conheci o Conrado Adolpho que divulgava conteúdo gratuito e de qualidade e aprendi muito com ele.

Em 2016, nas minhas pesquisas, descobri como criar um blog em WordPress e fiz um curso brasileiro bem legal que me ajudou a estruturar meu blog e meu negócio.

Lancei meu blog no final de 2016 e comecei a divulgar tudo o que eu aprendi nessa jornada e especialmente tudo o que eu sentia faltava e que não encontrava na internet.

Nas minhas pesquisas em blogs estrangeiros notei que o Pinterest era um canal de muito tráfego e bem pouco conhecido por aqui.

Fiz muitos cursos sobre o Pinterest e apliquei no meu blog com imensos resultados.

Hoje atendo clientes em Marketing de Conteúdo, SEO e Pinterest.

2 – O que é marketing de conteúdo?

Como diz Seth Godin, marketing de conteúdo é o único marketing que restou.

Marketing de conteúdo é colocar-se na frente do consumidor quando ele precisa e deseja.

É estar lá para sanar suas dificuldades, para ajudá-lo a alcançar seus sonhos e tornar sua vida mais fácil. Tudo o que as propagandas tradicionais prometem, mas de forma mais efetiva.

O Marketing de conteúdo tem a missão de atrair o consumidor quando ele tem alguma dúvida e faz uma busca no Google.

Tem a missão servir como um consultor qualificado para orientar o consumidor em direção a realização de seu desejo.

Enfim, o marketing de conteúdo é capaz de atrair o consumidor qualificado para o site, criar uma autoridade através da criação e divulgação do conteúdo e desenvolver um relacionamento que vai gerar vendas no final do processo.

3 – O que é um conteúdo de qualidade e como criar?

Basicamente um conteúdo de qualidade é um conteúdo que ajuda as pessoas de alguma forma. Essa ajuda pode ser dada na forma de um entretenimento, de uma solução para um problema, de uma divulgação de um conhecimento, de uma jornada que inspira.

O ponto mais importante é conhecer sua audiência e o que ela necessita.

Isso pode ser feito de várias formas: questionando sua audiência, buscando o que seus competidores estão fazendo e o que as pessoas estão engajando-se, pesquisando as palavras-chaves que estão sendo buscadas no seu nicho.

É importante criar um texto original e perene que possa ser consumido por muitos anos e que responda as dúvidas da sua audiência.

O conteúdo precisa estar estruturado de modo lógico, com começo, meio e fim.

Ele precisa ser escaneável, ou seja, a pessoa deve passar os olhos no texto e ter uma noção prévia do que se trata antes de ler.

O texto precisa estar estruturado de forma visualmente agradável aos olhos e de forma compreensível.

Os conteúdos tornam-se mais interessantes quando são ilustrados com imagens como infográficos, tabelas, vídeos, apresentações e outros recursos visuais.

Ao final de cada texto é importante criar uma chamada para a ação.

Essa chamada deve estar diretamente ligada ao conteúdo.

Também deve levar o leitor a realizar uma ação que o leve mais próximo a compra: ligar para a empresa, cadastrar-se na lista, compartilhar o conteúdo, etc.

4 – Qual a diferença do marketing de conteúdo atual comparado há cinco anos?

Há 5 anos existia muito menos conteúdo do que existe hoje e ele era mais raso. Os criadores de conteúdo também “estufavam” seus artigos com as palavras-chaves para conseguir melhores posicionamentos. Isso deixava os conteúdos com uma qualidade e compreensão inferiores aos atuais.

Hoje o Google é muito mais inteligente pela própria interação das pessoas. O Google atualmente implantou o RankBrain e então ele entende que se você busca Apple, por exemplo, você pode estar buscando uma maça, mas também pode estar buscando por produtos da Apple. Ou seja, ele faz uma análise semântica.

Ele avalia a interação que o usuário tem com o conteúdo. E é capaz de analisar se a opção a busca apresentada foi boa ou não para realizar rapidamente ajustes.

Isso aumenta a maleabilidade das posições dos artigos que podem rapidamente subir ou descer nos resultados de acordo com as interações que as pessoas têm.

5 – Hoje o famoso buscador Google esta pedindo mais conteúdo. Como resolver esse problema para o usuário e o buscador? Conteúdo pequeno também resolve o problema do usuário?

O Google quer entregar o melhor conteúdo ao usuário. De forma geral, os conteúdos devem ser de qualidade e aprofundados.

Mas dependendo do seu usuário e da forma como é entregue, resultados pequenos que resolvam o problema do usuário podem ser ótimas alternativas e rapidamente ranqueados na 1ª página.

Um snippet destacado, por exemplo, é um conteúdo curto que responde rapidamente a pergunta do usuário de modo preciso. Por ser relevante,fica posicionado no 1º lugar da primeira página.

6 – Como você faz para melhorar/aumentar a taxa de CTR (taxa de cliques)?

A melhor forma de melhorar a taxa de cliques é criar títulos e meta-descrições atrativas e com as palavras-chaves identificadas.

Uma segunda técnica que aprendi com Brian Dean é responder de forma resumida e pragmáticas as respostas buscadas.

Basicamente ele fala como usar o “Método Magnético da Taxa de Clique”.

  • Primeiro passo – Encontre Anúncios do Adwords para suas palavras-chaves ou palavras relacionadas;
  • Segundo passo – Inclua palavras e frases dos anúncios do Adwords no seu título e na tag de descrição;
  • Terceiro passo – Obtenha mais cliques.

A ideia geral é que o Adwords gasta milhares de reais e testes para usar a melhor otimização possível.

Então, acrescentar palavras-chaves que o Adwords está trazendo no título e na tag fará com que você tenha mais cliques e tráfego orgânico.

7- Marketing de conteúdo é realmente a moeda do século XXI?

Sim, com toda certeza. A informação é considerada a nova moeda do século XXI.

O conteúdo hoje entrega resultados consistentes e crescentes.

Marcas e empresas são criadas e posicionadas através de conteúdos escritos ou visuais de modo muito mais efetivo, focado e rápido.

As novas gerações consomem e interagem melhor com conteúdos do que com propagandas que as interrompam.

Elas participam e interagem com conteúdos que as entretenham, que as eduquem e que tragam algum valor.

E estão sempre dispostas a consumir mais conteúdos novos e frescos.

Esses conteúdos constroem valor real para as pessoas e para as empresas.

8 – Qual o tamanho ideal de um artigo para agradar aos buscadores e gerar vendas?

Os conteúdos que normalmente estão na primeira página tem em média 2.500 palavras.

Conteúdos com essa quantidade de palavras costumam ser bastante aprofundados e respondem com qualidade as perguntas buscadas.

9 – Quando se cria um conteúdo quais são os pontos que precisa observar?

É importante que o conteúdo seja único, novo, com uma média de 1000 palavras pelo menos.

Como já dito, é importante que resolva uma questão da persona ou leitor.

Além disso, os pontos abaixo garantem que seu conteúdo seja de qualidade superior e envolva o leitor:

#Título

O título deve ser atraente e irresistível para sua audiência.

Ele deve apresentar um benefício claro e ter a palavra-chave.

As pessoas adoram posts com listas que apresentam números porque isso deixa claro quantos itens elas vão encontrar.

O título é um dos pontos mais importantes do post porque é ele que atrairá o clique do usuário para que ele leia o resto.

#Facilidade de leitura

O texto precisa ser fácil e agradável de ler.

Ele deve ser estruturado com títulos, subtítulos, números e marcadores se necessário para facilitar a compreensão.

O uso de fontes legíveis e grandes também ajuda muito.

Escrever poucas palavras e sentenças facilita a compreensão do que está sendo falado.

E nada de usar jargões da área sem explicações e nem textos acadêmicos incompreensíveis.

Escrever uma introdução incrível é uma forma de capturar seu leitor de cara e fazer que ele continue lendo. Isso ajuda com que o “bounce rate” do seu site seja menor.

Destaque o que é importante. Aquela informação que não pode ser perdida pode ficar em negrito.

Insira imagens e espaços para quebrar a monotonia do texto e ajudar a explicar melhor os conceitos.

#Interlink os textos

Os textos devem ser interligados, não só para melhor compreensão do usuário, quanto para a melhor compreensão do Google.

#Otimize suas imagens

As imagens devem ser de boa qualidade, mas leves para carregar.

Lembre-se sempre de minimizá-las antes de subir para o artigo.

Cada imagem deve estar otimizada com a palavra-chave escolhida para o post.

#Use fontes de qualidade e dê crédito a elas

É muito mais verossímil quando dados são utilizados para apoiar uma argumentação.

Especialmente se esses dados vêm de fontes de alta credibilidade.

Credite sempre as fontes para ajudar seu público a obter mais informações e para ajudar no seu SEO.

#Revise e edite seu post

Revise e edite seu post antes de publicá-lo.

Se possível, peça a outra pessoa para ler também.

Muitas vezes os olhos já estão viciados e não enxergam mais os erros.

Verifique:

  • O texto tem começo, meio e fim?
  • Qualquer pessoa entenderia a mensagem? Existem termos sem explicação?
  • Se a pessoa correr a barra de texto e der só uma olhada, ela tem uma ideia do conteúdo que tem ali?
  • Os links internos e externos estão funcionando e indo para os locais corretos?
  • A gramática foi verificada e está correta?
  • Existem espaçamentos a mais entre as letras?
  • O seu SEO está otimizado da melhor forma possível?

10 – O que significa ROI e métrica? Como usar?

ROI é uma sigla inglesa que significa Return Over Investment, ou seja retorno sobre o investimento.

Ele serve para avaliar se seu investimento teve ou não retorno.

Um bom exemplo de ROI é quando você investe 200 reais no Facebook Ads e tem de retorno 350 reais. Isso quer dizer que seu ROI (retorno sobre o investimento) foi de 75%.

A fórmula é dada por: ROI = (Retorno do Investimento – Custo do Investimento) / Custo do Investimento. O resultado pode ser multiplicado por 100 para expressar o valor em percentual.

11 – Ficar em primeiro lugar no Google seria um sinal de vendas certas?

Com certeza não. O primeiro lugar no Google apenas significa que aquele resultado atendeu da melhor forma a resposta a busca realizada.

Mas muitas vezes a busca é apenas por informação e não tem a intenção de compras, o que acaba por ter poucas chances de converter em vendas.

Além disso, estar no primeiro lugar no Google é apenas o primeiro passo para a conversão em vendas.

Ainda existe todo o processo de reconhecimento, criação de autoridade, relacionamento e persuasão que demanda outros esforços de uma empresa.

12– Quais são as outras formas de gerar vendas sem depender dos buscadores?

Existem muitas formas de gerar vendas além dos buscadores.

A primeira delas é a mais antiga é divulgação boca a boca.

Ainda é uma das mais efetivas. Apesar do mundo digital, as pessoas ainda dão crédito a indicações de seus relacionamentos por ser mais crível.

Usar um funil de vendas que acompanhe a jornada do consumidor, inclua a entrega conteúdos gratuitos e uma sequência de e-mails marketing também é uma forma incrível de entregar conteúdos, estabelecer relacionamentos e gerar vendas.

Anúncios pagos em redes sociais como o Facebook, Youtube, Twitter e Instagram também impactam seu público de modo focado já que essas redes têm bases bem segmentadas.

O mais importante é ter uma plano de marketing digital estruturado e que atue em conjunto.

13 – Como fazer e quais são as ferramentas necessárias para análise de SEO?

Para fazer uma análise de SEO é preciso fazer uma análise On Page, Off Page e técnica.

Existem milhares de ferramentas para fazer uma análise de SEO, mas as que recomendo fortemente são:

  • Google Keyword Planner e Ubbersuggest para analisar e encontrar as melhores palavras-chaves
  • Semrush para análise global do site e da concorrência
  • Google Search Console para fazer uma análise do SEO Onpage.
  • Uso do Yoast para sites em WordPress.org para otimização dos posts
  • Moz, especificamente o Open Site Explorer, para verificar as métricas de SEO como autoridade da página e autoridade do domínio.
  • PageSpeeds Insights do Google ajuda a verificar a velocidade do site.

14– Como trabalhar e conseguir tráfego com Pinterest?

O Pinterest é uma enorme fonte de tráfego.

A rede é ainda pouco explorada no Brasil por desconhecimento do seu funcionamento e benefícios.

Ela é basicamente um mecanismo de busca de imagens e não propriamente uma rede social como muita gente pensa.

Os usuários estão na plataforma para inspirar-se e salvar ideias que elas pretendem colocar em prática.

Eles criam coleções dessas ideias em pastas para gerar ação imediata ou futura.

Ou seja, é uma plataforma com um potencial muito grande para as empresas porque as pessoas usam a plataforma com a intenção de gerar uma ação, especialmente uma compra.

93% dos “pinadores” ativos disseram que eles usam o Pinterest para planejar compras e 87% disseram que eles compraram alguma coisa por causa do Pinterest.

Outro benefício é que é a exposição e viralização dos pins aumentam com o tempo.

Em outras redes sociais cada post dura de segundos a poucas horas.

No Pinterest, o conteúdo pinado tem uma vida útil de 3,5 meses, o que é 608 mais vezes a duração do conteúdo no Facebook que é de 3,2 horas.

O Pinterest também envolve mais seus participantes por ser uma rede visual.

E conteúdos visuais recebem 94% mais visualizações do que conteúdos escritos porque as pessoas processam as imagens 60.000 mais rápido do que textos.

Para trabalhar e ter tráfego é importante levar em consideração alguns aspectos:

  • Ter uma conta profissional, criando uma ou convertendo a que você já tem;
  • Habilitar os pins avançados;
  • Conhecer muito bem quem é sua persona;
  • Criar perfil e pastas focadas para atrair sua persona;
  • Aplicar SEO no nome, perfil, pins e pastas;
  • Criar pins atrativos com imagens de qualidade, na vertical e com a identidade visual da empresa;
  • Garantir que os pins estão nos posts e seus links estão funcionando;
  • Participar de grupos compartilhados do seu nicho;
  • Usar plugins e botões do Pinterest para facilitar o compartilhamento;
  • Participar de forma ativa do Pinterest de forma consistente pinando conteúdos próprios e de terceiros;
  • Avaliar no Analítico os resultados e realizar ajustes e melhorias.

15 – De todas as técnicas que você experimentou, qual delas surpreendeu você quando tentou? Seja White Hat ou Black Hat.

Conseguir links, de forma natural, através de guest post, de registros em sites de autoridade com do follow é o que fez a maior diferença na minha experiência.

16 – Informe os seus projetos online e o que você espera da blogosfera para o futuro?

Atualmente estou trabalhando na criação de dois cursos online para ajudar blogs e empreendedores digitais: um que se chama SEO BLISS, focado em SEO para blogs e outro sobre como alavancar tráfego com o Pinterest, além de um e-book do Pinterest.

Quem tiver interesse em receber informações sobre o lançamento do curso SEO BLISS, pode cadastrar-se aqui.

Espero para o futuro que eu consiga colaborar ainda mais com empreendedores digitais.

Espero também que o mercado profissionalize-se cada vez mais e que mais pessoas enxerguem na internet e no marketing digital uma oportunidade de criar uma vida diferente, com mais criatividade, qualidade, prosperidade e liberdade.

Raquel Blog Plano B Life – Entrevista Com Uma Jovem Empreendedora
5 (100%) 95 votes
-->Aproveite e cadastre seu email abaixo para receber novas atualizações do site. Após colocar o seu email abaixo vai receber um email de confirmação de cadastro não esqueça de clicar.<--

Receba novidades no seu email:

Delivered by FeedBurner

Deixe uma resposta